_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

quinta-feira, 17 de março de 2011

Era uma tarde de verão em Imslandres... [Parte 1]

Era uma tarde de verão em Imslandres, o lago Grande dançava suavemente com a brisa vinda das Montanhas Verdejantes. Elisa passeava ao redor do lago com seu longo vestido rosa antigo, cheio de babados. Seu cabelo era castanho escuro cacheado e comprido, suas mãos finas e longas como de uma princesa, seus olhos do mais claro e intenso verde. Seu corpo tinha curvas na medida certa mas não dava pra ver por causa do vestido que era levemente acinturado. Ao redor do lago, a vegetação era rasteira e de um verde quase cintilante, transbordando vida do reino Plantae. Incrivelmente neste lago quase não se via vida animal, e todos temiam aquela beleza natural por causa de um dragão que vivia ou ainda vive nas Montanhas... Esta é a lenda mais forte deste lugar misterioso:





"Aquele lago um dia fora um vale verdejante cheio de vida, e que depois da chegada do Grande Smogg foi arrasado, surgindo, assim, o lago por causa do suor do monstro que habita as montanhas, isto é o que os aldeões de Imslandres dizem. Mas já faz tanto tempo que esta história existe que virou lenda, da lenda virou mito, do mito virou apenas uma história. Faz séculos que não tem nada fora do normal, só verde do lago até o topo da montanha mais alta."

Ainda era uma tarde de verão em Imslandres, Elisa continuava caminhando suavemente ao redor do lago quando sentiu o primeiro tremor de terra, em um passe de mágica ela caiu e começou a se perguntar o porquê quando sentiu o segundo tremor de terra que era mais forte que o primeiro. Parecia que toda a cadeia de montanhas queria sair do lugar, parecia que ia abrir uma fenda no chão e surgir o grande dragão Smogg.

O lago começou a ferver, jatos de água do tamanho de 5 homens altos jorravam do meio do lago, o pânico contaminou a face da bela e jovem Elisa que tentou correr de volta para o vilarejo que estava a uma distância de 1 hora de caminhada, quando o chão tremeu pela terceira vez. Lágrimas escorriam do seu belo rosto, seus olhos verdes tentavam colocar para fora todo aquele medo que a tinha paralizado. Tudo o que ela mais queria era correr, fugir, ir para algum lugar bem longe.

Da montanha mais alta de repente escorreu o gelo que ocupava o cume, e assim ela explodiu em fúria como se estivesse punindo todos os humanos por um crime que eles não cometeram, sorte que a montanha mais alta era longe, só por isso deu tempo de ver a lava sendo lançada longe, mas ainda não chegava perto do lago, na realidade parecia que o lago era o único lugar que não estava sendo inundado por lavas.

Foi quando do meio do lago surgiu aquele homem, tinha a pele com um leve tom de verde que o deixara com um aspecto de dar medo a qualquer mortal, ele começou a nadar em direção a Elisa, e ela, em seu desespero, não conseguia nem piscar os olhos. E quando ele começou a sair da água que ela notou o quão diferente e belo era aquele ser, pois com certeza ele não era humano.

Mais alto que os humanos com um cabelo dourado liso que pingava a água quente do lago, com uma pele grossa que parecia escamas, olhos de gato também dourados, sombrancelhas dourado escuro, ele tinha unhas compridas e afiadas, com um nariz grande e orelhas levemente pontudas. "Ele não pode ser real" Elisa pensou.

-Sim, eu sou real, disse o ser escamoso. - Em pânico contido Elisa perguntou:

-O que é você? Quem é você? O que você quer comigo? Como você sabe a minha língua?

Em uma risada que parecia um trovão ele disse: - Eu sou algo diferente de humano, mas este é o meu jeito humano de ser. Eu sou aquele que muitos temem e que agora muitos não acreditam que eu ainda exista. O que eu quero contigo? Eu quero me salvar, e se você quiser eu te levo junto. Como eu sei a sua língua? Eu sei de muitas coisas que os humanos não sabem. - Disse ele com a maior calma do mundo e com um certo sarcasmo na voz.

-Como eu posso acreditar em você? - Elisa desafiou-o.

-Não pode, e é por isso que provavelmente irá acreditar em mim. Eu sou sua última esperança, sem mim este lago que já foi um vale, irá servir de depósito de lava, e você tem que fazer uma escolha agora. Vale a pena acreditar em mim? Neste ser escamoso e estranho que fala bonito e que apesar de diferente tem uma beleza exótica. - Após terminar de falar surgiu um sorriso selvagem sob a face daquele ser não-humano.

-Eu preciso pensar. - Elisa retrucou.

-Não há tempo. - Ele respondeu prontamente.

-Me diga apenas o seu nome, então. - Ela suplicou.

-Tenho muitos nomes em várias partes do mundo, mas pode me chamar de Dante, a fúria sobre a Terra. Sim, Dante é um bom nome. - Ele falou isto olhando para cima, e logo depois Dante ajoelhou e estendeu a mão para Elisa com um gesto exagerado, sempre olhando-a nos olhos com aquele olhar felino. Após alguns segundos que pareceram uma eternidade, Elisa decidiu.



-Eu sei que eu não deveria ir, mas você é a minha última esperança. Espero não me arrepender. - Falou aquilo seriamente e tocou a mão de Dante com a sua. "Tenho certeza que não irá se arrepender" Dante pensou com um sorriso sincero e sarcástico no rosto. Assim o destino os uniu mais uma vez...


Clique aqui para ler a Parte 2
Espero que tenham gostado do conto ;D
Se gostou clique em "gostei" aqui embaixo.


=*

Um comentário:

  1. Guria, muito bom o conto! O roteiro é interessante. A linguagem poderia ser um pouquinho mais trabalhada, mas mesmo assim está muito legal.
    Ainda: Escreva a continuação logo, hehe.

    ResponderExcluir