_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Reclamações...

Talvez eu mesma que provoque os problemas que eu tenho, e blá blá blá.
Amanhã é dia 24, e daí? Natal? Grande merda [32251875321651650]

Eu queria poder parar o tempo e me divertir, nem que pra isso eu tenha que voltar no tempo e virar criança, era tudo tão mais fácil e belo.
Eu queria poder controlar tudo em mim que me faz humana, e ser uma deusa. Hahahahahahha. Tá, daí eu acordei.

Eu fico procurando os problemas, pra tentar resolver. Como se adiantasse alguma coisa. E eu mudei alguma coisa? Talvez mínimas coisas, o importante, o que eu queria mudar, mudei?

Ando desanimada, faço tudo o que me mandam, e ainda assim, sempre tem algo pra reclamar de mim. Mas é pq eu deixo, pq eu quero ajudar. Eu poderia estar nem aí e sair, deixando tudo pra trás, e voltar de boa. Mas eu quero ajudar =/

A raiva de mim passou. Sim, raiva, pq eu sou idiota. Eu não sei pq eu ainda insisto em algumas coisas, acho que é só pra poder falar que eu tentei. Mas será que realmente vale insistir só pra dizer que tentou? Quando às vezes ficar quieta não é melhor? Não sei. Só sei que já me arrependi muito das coisas que eu não fiz, logo, eu geralmente tento.

E galera vai viajar, e eu vou ficar aqui, sozinha. "Sem ninguém pra brincar". Tudo bem, qualquer coisa eu me acompanho pra escalar ano que vem, e também pro parque de diversões. Já vi que estas férias serão uma merda =/
Preciso de um emprego, temporário, efetivo, anyway, qualquer coisa antes de começarem as aulas pra eu não morrer de tédio. Nem The Sims 2 dá pra eu jogar direito =/ só lá pelo final de semana =/ dependendo da boa vontade de outros.

Aiai. Alguém tem alguma fórmula pra parar o tempo e ir prum outro lugar onde eu possa ser mais feliz?

=*

domingo, 21 de dezembro de 2008

Boas festas!

Boas? Quem disse? Tá, sim, concordo que as festas são boas em geral. Mas as de Natal e de Ano Novo não são. E daí que minha família é super desunida? Eu? Me importar? 'Magina!
E daí que eu sempre acho que meu ano foi uma merda e que eu não fiz nada de bom só por causa do meu perfeccionismo?
E daí que eu entro em crise existencial que é agravada por uma série de fatores?

Nesse Natal vai ter L-A-S-A-N-H-A! Prontoacabou! Chega de piadinhas natalinas sobre perus!
E se der, de Ano Novo: panquecas.
Tudo isso aqui em casa, nossa família: eu, meus pais, meus irmãos e claro a Tininha.
Se alguém vier, que venha!^^

E os presentes? Ah! Não espero muitos não, na verdade 1, no máximo 2.

Eu entrei em crise esses dias agravada por: TPM, estresse, carência... Foi tenso, mas durou algumas horas antes de dormir! Hoje estou melhor! Bem melhor!

Estou até com vontade de defenestrar alguém ;)


Sim, pra que eu vou me preocupar se você não se importa? Toca o barco/bonde/fonte/bagulho/trubisco.


Sonhos estranhos! Queria que viessem descodificados! Essa linguagem nonsense dos sonhos é um desafio à minha lógica peculiar!

Vidro> vidra> vidrado.
O que o vidro disse pra vidra? Estou vidrado em você.

Noite > fome> dormir. Comer antes de dormir engorda. E no sono é liberado um hormônio que dá saciedade. Sim, Aline também é meio-anoréxica. =P ahuahauahuahauahuaha

Assistir "A Fantástica Fábrica de Chocolates" foi um convite a minha imaginação, embora eu não tenha conseguido chegar até a inspiração de algo. Mas eu me senti melhor!^^

Eu queria ir escalar, pra praia. Jogar capoeira, joquenpô, e Nintendo Wii. Queria um trabalho, uma meta, e uma esperança. Queria que eu fosse jogada num espaço atemporal onde eu possa realizar um monte de desejos. Queria que o ano que vem fosse melhor! Pra mim e pra você.

Às vezes eu acho que sou meio insensível e fria, outras que sou demasiadamente sensível. Vai entender! Eu sou variável! Alguém me deriva e acha os pontos críticos?

Malditas piadas com cunho curricular! Nerds!

É, é, acho melhor eu ir dormir... Não é bom eu infestar a casa de fumaça preta, sim, essa mesmo de engrenagem que funciona mal/horrível/não-funciona.

Boa noite. Bom Natal. Bom Ano Novo. Boas entradas e um abraço por trás.
[ps: não sei se eu vou postar de novo até lá. Whatever! Assim dá tempo de você ler antes daquela correria de falar com todos no msn...]
[ps2: se tudo der certo, surpresas no meu blog [este] logo logo!]

=*

sábado, 13 de dezembro de 2008

Primeiro parágrafo

Meu nome élfico é Áramiel Lotëmore não o ouço desde que minha mãe morreu, ela era a única que me chamava assim, era minha família. Já faz algum tempo que saí da minha cidade com um grupo formado por uma meia-elfa, um shifter, dois humanos e um psiônico. Devido às batalhas o paladino morreu tentando cumprir seu "attonement".

Nós investigamos uma caravana muito estranha que depois que saiu de uma cidade todas as crianças, de recém-nascidos até uma certa idade adoeceram e morreram. Passaram por [...] e visitaram todos os templos, sem chegar a entrar em nenhum, e também passaram na frente do castelo. Após isso os símbolos dos templos se distorceram; o rei ficou doente, não recebia mais visitas nem sequer saia do quarto; e, a caravana partiu. Sinto que há algo conectado com a nossa missão: achar uma caixa que contém maldade.

Ah! E também, há o mistério das aranhas! Aconteceu no meu turno de vigia, e no de mais alguém do grupo. De repente, tudo lá fora fica silencioso, e muitas aranhas vem com medo se aninhar nos nossos corpos. Chamei o gato, fechamos as portas de um templo subterrâneo. Bastante tempo depois, quando abrimos a porta de onde vieram as aranhas, tinha pegadas, como não vimos ninguém, suponho que quem quer que seja, voltou sobre as próprias pegadas.

No túnel a caminho de Daergel também aconteceram coisas estranhas. Comíamos quando de repente eu senti um gosto ruim, vomitei meu lembas e ele tinha virado pedaços de carne humana, dedos, ..., ecati! Comi um pouco da comida dos outros. Sem contar que ouvimos diversar vezes vozes imitando as nossas, pedindo socorro. Há rumores que "mind flayers" retornariam para lá, onde uma vez eles habitaram. Chegamos em Daergel e um guarda tinha um broche de Ilsennsine, uma deusa dos mind flayers.

Depois de achar uma caixa que lembrava a que vimos procurar, saímos correndo da cidade em direção ao outro continente. Mas acabamos voltando para Daergel, pois descobrimos que aquela caixa não era a que a gente procurava, e teríamos que conseguir informações de qualquer jeito. E que lugar melhor para conseguir informações que uma cidade realmente gigante? Passamos por algumas batalhas ao longo de todo o caminho. E, certo dia, encontramos na estrada um feiticeiro, muito carismático, aiai... Que nos ajudou a derrotar um monstro muito grande e medonho.

Chegamos na cidade e fomos direto para a nossa taverna preferida, e o gato foi na casa dos outros gatos. De repente, recebemos uma mensagem de pedido de socorro do gato, corremos até lá com as instruções dele, mas não chegamos a tempo. Então vimos o gato ser preso junto com os outros shifters da cidade (estava na hora errada e no lugar errado) por terem roubado uma casa muito estranha. Perto daquela casa onde encontramos uma caixa estranha, com o símbolo de Ilsennsine, esta que foi destruída pelo Dune Walker. Segui os guardas com a minha invisibilidade, passos sem pegadas e furtivamente, mas não consegui entrar onde eles levaram os gatos, tentei entrar outra vez, mas a porta fechou rápido demais. Não tendo como ajudar, eu saí da prisão e fui à taverna encontrar os outros.

Após saber das notícias, decidimos ir à casa onde achamos a casa, e vimos que tinha gente morando lá. Bubble bateu à porta e uma velhinha atendeu, entramos, vimos que estava tudo diferente e tomamos chá, mas o feiticeiro e o Dune viram que a "lindeza" da casa, era na verdade uma ilusão, e o casal de velhinhos: mind flayers. Eu fui levada para escada da última sala à direita do corredor central, pois fiquei paralisada de medo. Os outros foram atrás de mim, para aquela que seria a última batalha de nosso companheiro.

Foi uma luta dura contra os dois mind flayers que pretendiam nos levar à cidade subterrânea, para sugar nosso cérebro, mais especificamente, o do Dune e do feiticeiro. O mind flayer que restou conseguiu, de algum modo, comandar o Dune, que nos atacava, nós, seus amigos e aliados. O mind flayer fugiu, e tentava levar o Dune de banquete, então, como última solução, matamos nosso amigo, pegamos sua cabeça para que ela não servisse de banquete, e saímos correndo daquele lugar amaldiçoado. De volta no corredor principal, ouvimos alguns gemidos, e encontramos uma mulher presa, onde antes, ainda com o Dune, encontramos a caixa com instrumentos cerimoniais dos mind flayers. O nome dela é Som da Lua, se é inimiga dos mind flayers é no mínimo aliada.

Ajeitamos as armas com aquela cordinha, e , com cuidado saímos da casa. Não havia ninguém na rua, eu e o Bubble estávamos encharcados de sangue, então o Bubble fez uma magia e apareceu água para nos dar um banho, afinal antes água do que sangue.

Fomos para a taverna, Bubble fez um brinde com um caneco da garrafa especial ao Dune, e entrou em coma. Levei-o lá pra cima e deitei-o na cama. Tomei um banho decente e voltei para onde os outros estavam, e uma rodada foi distribuída entre os presentes, por nossa conta. Um tempo depois, chega o gato visivelmente cansado, contando que conseguira escapar da prisão, esse é o gato afinal. Ah, e eu acabei levando um fora épico do feiticeiro... Mas não vamos detalhar essa parte...

Ao amanhecer, fomos todos fora da cidade e fizemos uma pira gigante, para um grande amigo. E pudemos ouvir um sussurro do seu agradecimento. Voltando à taverna, ficamos de luto, até a nossa "entrevista" com o rei. O gato não fora com a gente por motivos óbvios, e a mulher foi junto com a gente. Após muita conversa, vimos que o rei estava "suando" demais, e que alguma coisa estranha estava acontecendo por lá. Conseguimos um passe para a biblioteca real. E, graças à mulher, descobrimos que o rei, tinha virado um mind flayer.

Logo depois da entrevista, fomos à biblioteca e descobrimos coisas interessantes sobre os mind flayers, inclusive o inimigo natural dele, mas são criaturas perigosas, até mais perigosas que os seres polvo gosmentos e nojentos. Descobrimos mais algumas coisas sobre a caixa, e até mais um pedaço do diário perdido do mago.

Quando eu tiver novidades eu volto à escrever.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Novidades...

Embora o clima de férias aqui em casa seja marcado por uma sucessão infinita de estresse por causa da casa e blá blá blá.. Até que desta vez está sendo legalzinho...
Não é que eu não goste de ajudar... Mas eu tenho meu tempo, meu jeito, e odeio que fiquem do meu lado narrando o que eu tenho que fazer, sendo que: eu estou fazendo do exato jeito que a pessoa tá falando...
Fora quando te fazem se sentir uma merda por não conseguir algo que você se propôs à fazer...

Pra quem não sabe, comecei a escrever uma história, esses dias à noite, como ela está crua, tá horrível de ler, eu fico irritada quando to passando ela pro pc, pois eu fico vendo como está mal escrita, um saco e fico tentando arrumar.. Até eu me estressar e largar! =P

Aiai, estresses à parte, vem novidade por aí, e acho que será SUPER hiper mega interessante!

Que seja! Estou estressada! Vou jogar The Sims 2!

=*

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Kathy Entreri

Seu nome élfico é Áramiel Lotëmore que significa "filha da aurora". Seu pai é um drow que sumiu quando ela era pequena. Há rumores que ele foi assassinado, outros dizem que ele fugiu e assim ela cresceu sem ter a certeza de que seu pai a amava. Então, foi criada por sua mãe, elfa, na cidade de Aurium, e, sempre foi discriminada por ser muito diferente. Como eram pobres desde cedo ela aprendeu à roubar. Começou com as carteiras, depois, já roubava casas, levando só o que valia mais dinheiro.

Certo dia, ela chegou em casa e viu sua mãe assassinada, não se sabe quem fez aquilo, o motivo. Mas Kathy jurou vingar a morte dela. Kathy não podia procurar nem elfos, nem drows, pois seus pais fugiram de onde moravam, e ela nem sabia onde eles moravam. E, ela era apenas o fruto, a prova viva desse "amor proibido", entre raças diferentes que "não se misturam".
Então, neste dia foi até a guilda de ladrões, pois já tinha feito uns trabalhos para eles, e começou a trabalhar efetivamente lá. A guilda era quase que como uma nova família para ela, com a diferença que ela não confiava em ninguém. Mas sempre participou dos roubos e das festas de lá. O chefe era quem dava as ordens, embora ela nunca soubesse quem era, o que para ela não importava, desde que a pagassem.
A vida lá não era a melhor, mas também não era a pior, todos a respeitavam de uma maneira peculiar por causa do jeito dela: quieta e fria. Por causa de tudo o que acontecera, ela não demonstrava nenhum sentimento de compaixão para pessoa alguma, a vida tinha se encarregado de tirar tudo o que mais tinha de valor: sua família.

Com o passar do tempo, por causa do seu jeito, o assassino-mor da guilda, Artemis, decidiu treiná-la. Sua primeira missão foi bem sucedida.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Experiências sobre espíritos

Hoje eu conservei muito sobre espíritos e coisas "sobrenaturais" com a Cinthia e com um amigo dela.

Cheguei à conclusão que todos temos/ouvimos falar sobre isso. E que por mais que ainda duvidamos, faz parte da nossa realidade, da nossa verdade.

Histórias:
>Estava eu conversando com a Pati, num banco da Rua XV, olhando pra ela e dissertando sobre "altos" papos quando de repente sinto um toque conhecido no meu ombro direito de alguém [bem vivo] que veio me dar um beijo no rosto. Pensei, "ah! deve ser coisa da minha cabeça". Mas, a Pati viu o vulto e comentamos sobre isso uns dias depois.

>Já vi o espírito da minha avó, quando eu era MUITO pequena [3 anos] e ela chorava, quando contei pra minha mãe eu também estava chorando, minha mãe marcou a hora que isto aconteceu. Quando meu pai chegou, trouxe a notícia que meu tio-avô tinha morrido mais ou menos naquela hora que eu vi minha avó.

> Entre muitas outras...

=D

Beijos pra todos.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Feira de Estágio!

Quarta passada teve feira de estágio aqui perto do Politécnico, e eu fui!!!


Foi tão legal! Pra começo de conversa, um amigo meu que me acompanhou até lá, por que eu não sabia onde era...

Comprei um quilo de alimento de uma ambulante pela metade do preço que ela queria me vender. Cheguei lá, me cadastrei, e fui à caça, me entupi de folders.

Até que uma hora lá, eu ouvi o som de gente da capoeira, corri pra lá. Vi um corda laranja mostrando as habilidades.

Joguei capoeira com eles. Depois, joguei um basquete diferente, e quando eu tava pra acertar a cesta, acabou o tempo =/ Mas, o time das meninas ganhou =D

Encontrei a Priii, que eu não via há séculos, minha vizinha e um perdido.

Fui de ônibus até o Cabral, encontrei a minha irmã, e juntas fomos até a 91 Rock pegar o prêmio dela =D

Resumindo: Cansativo, mais super legal.
Viu Dani! Um post feliz!

=*

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Não leia.

Se você não quer ler um desabafo, não leia. Pare por aqui!

Eu avisei!

Eu não ando muito feliz com a minha vida, atualmente.

Não consigo estudar direito, não consigo ter inspiração direito, não tenho dormido bem.
Tenho tido dores de cabeça frequente e quase todas as vezes que eu como, me dói o estômago.

Tenho vontade de chorar e de sumir. Ir o mais longe que eu puder...

Mais uma crise? Pqp, eu cansei de crises.

Eu me sinto a mais pérfida das pessoas inúteis. A mais "chutável", a mais destruidora de lares, chata, grudenta, por mais que isso não seja verdade...

Resumindo: To um saco.

=*

domingo, 5 de outubro de 2008

Aconselho...

A lerem a seguinte matéria:

Apego

Acho que tem muito a ver com uma matéria que li recentemente no site da Yahoo [=O] onde o entrevistado defendia que a prática de "ficar" ajuda no amadurecimento de como os jovens lidam com os seus relacionamentos. Ele também afirmava que a "tendência" é aquela imagem de "amor romântico" seja abolida aos poucos pela sociedade. E que os novos tipos de relacionamento valorizem cada vez mais a união de "indivíduos" e não de seres que "se completam", que necessitam do outro para viver.
Assim, deixa de ocorrer as desilusões nos relacionamentos, e pessoas muito mais maduras com relacionamentos.

Leia, mal não vai fazer!
=*

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Welcome to reality

Bem-vindo à realidade, saia da Matrix, escolha aventurar-se por um mundo que provavelmente não será nada do que você imaginou, será melhor ainda!

Bem-vindo à realidade, nela, você pode ser o rei e ser assassinado, pode ser o assassino e ser assassinado, pode ser o inocente e sair vivo.

Bem-vindo à realidade, você muda o seu mundo e muda o mundo de pessoas à sua volta, é só querer.

Bem-vindo à realidade, quando você escolhe um caminho, você pode mudar a qualquer hora, e não, não é a pior coisa do universo.

Bem-vindo à realidade, você vai ouvir críticas, muitas delas, algumas altamente invejosas, mas você também irá ouvir elogios [nem que seja de si mesmo(a)].

Bem-vindo à realidade, não existe príncipes-encantados, no máximo existem príncipes...

Bem-vindo à realidade, todo mundo erra.

Bem-vindo à realidade, o mundo vai acabar um dia, pelo menos pra você.

Bem-vindo à realidade, você é o centro do SEU mundo, no máximo.

Bem-vindo à realidade, toda ação causa uma reação de igual intensidade que atuam em corpos opostos, por isso nunca se anulam. Não "reaja" simplesmente aos fatos.

Bem-vindo à realidade, toda ilusão acaba em desilusão.

Bem-vindo à realidade, minhas idéias são tão aceitáveis quanto às suas.

Bem-vindo à realidade, eu também sou capaz, você quer que eu te prove?

Bem-vindo à realidade, eu não sou igual à você, e nem completamente diferente.

Bem-vindo à realidade, acorde e dê oi para o mundo, e durma com a cabeça leve e sem preocupações.

Bem-vindo à realidade, o que tiver que acontecer, acontecerá. E se você estiver envolvido, dê o melhor de si e corra atrás, pelo menos você terá tentado.

Bem-vindo à realidade, prazer, eu sou a Aline.

=*

Ao som de Ayreon...

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Feridas...

Existem feridas que nunca cicatrizam direito, e conforme o tempo ainda doem.

E mesmo que você se livre do fantasma, ainda tem a situação, o desgosto, a dor, tudo de ruim que aconteceu ainda está lá. E você lembra de cada passo, de cada promessa não cumprida.


E então eu te pergunto, por que você não se abre ao diferente? O que aconteceu só deve servir de lembrança, não como uma profecia. Mas, entra outra coisa na história, eu também já provoquei dor em uma pessoa, e foi sem querer, aconteceu. Então, eu tenho medo de machucar alguém novamente. E, principalmente, de me machucar de novo.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Dance

Dance, gire, balance a cabeça.

Faça o que quiser. Faça o que quer fazer. Esteja alerta. Faça o que tem que fazer.
Não escolha. Faça o que quiser. Não siga conselhos. Não dê conselhos. Não dê.

Gire ao som de uma música down... Sorria ao som de um anoitecer esplêndido...
Durma em um leito de nuvens

Faça o que quiser ser. Seja o que quiser fazer. E volte, amor, volte.
Eu te espero. E estarei te esperando até retornar.

Então dance. Ao som imaginário. Ao som do amanhecer.
Então gire... Me abrace e me gire depois de todos os momentos juntos.

Embaixo daquela cerejeira, ao som do Sol alegrando as crianças.

No calor das almas que se juntam, que ficam perto uma da outra por gostar da companhia.

E quando cansam... Saem pelo mundo e voltam antes do anoitecer.

=*

10. Mudança

A vida segue repetindo-se despreocupadamente -- e a menos que você se torne muito consciente, ela continuará se repetindo, como uma roda. Por isso é que os budistas chamam a isso de roda da vida e da morte -- roda do tempo. Tudo se movimenta como uma roda: ao nascimento se segue a morte, à morte o nascimento; ao amor se segue o ódio, ao ódio o amor; ao sucesso se segue o fracasso, ao fracasso o sucesso. Basta olhar à volta...

Se lhe for possível observar apenas por alguns dias, você perceberá um padrão se definindo: o esquema da roda. Em um dia, numa bela manhã, você se sente tão bem, tão feliz e, no outro dia, está chateado, tão infeliz, que começa a pensar em cometer suicídio. Há apenas alguns dias você se sentiu tão cheio de vida, tão abençoado, que agradecia a Deus, pois você estava num estado de espírito de profunda gratidão, e hoje há um grande sentimento de inconformismo, e você não vê razão que justifique continuar vivendo...
E essa alternância vai se repetindo, mas a gente não chega a perceber o padrão.
Uma vez que você perceba o padrão, você pode libertar-se dele.

Osho Take it Easy, Volume 1 Chapter 7

Teste das Cores

"A ansiedade e a insatisfação contínua, seja em seus empreendimentos ou nas frustrações emocionais, têm provocado considerável tensão. Tenta livrar-se delas refugiando-se numa atmosfera idealizada de simpatia e compreensão, ou num outro ambiente onde haja harmonia e beleza."

Teste das Cores [Clique aqui]

Sim, eu gosto desse tipo de testes, porque eu quase sempre "fico à par" da verdade sobre mim.
Eu tendo à fantasiar as coisas, a me iludir. Tendo à não querer enxergar a verdade, pq "não quero" [tenho medo de] saber onde eu estou errando.

Ando bastante ansiosa e com sentimentos estranhos que tem me feito "explodir" quase que literalmente... Muitas crises...

Tive sonhos que soaram como avisos, do tipo, não se rebele, acalme-se, tudo vai dar certo, mas se você se controlar e fizer tudo direitinho. Em alguns dos sonhos eu me "movi" até um futuro mais longe e vi as coisas dando errado, talvez isto me foi mostrado justamente para eu não fazer como foi descrito. E pra me acalmar.

E também sonhei com pequenas passagens do dia-a-dia, onde, em muitas delas estão Cinthia, Pati e Rudolf... Algumas já se realizaram...

Resumindo... Tenho que me libertar desse padrão de comportamento. Se iludir, só serve pra se desiludir, e eu não quero mais sofrer por causa disso.

Espero que compreendam =D

See ya! =~
=*

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Traumas

Sabe quando você lê alguma merda, vê algo,... que te trás lembranças e que te faz ter vontade de pular da janela de um edifício? [ainda bem que eu moro em uma casa]

Primeiro, o antecedente [criminal?] de uma relação anterior:
"Em 2006, eu tinha o meu primeiro OMG namorado, e pouco mais de 1 mês de namoro [quase 4 juntos] eis que ele vai pra Oktoberfest com os amigos dele [tb os meus, pessoal da facul [ele é da minha sala de faculdade]], eu claro que deixei, não vou prender ninguém comigo, se tá comigo é pq quer... Eu até ia junto, mas meu pai não iria deixar, eu provavelmente não teria dinheiro, e tava morrendo de cólica no dia que eles foram..
Bem, passou bastantinho tempo, e de repente [sim! do nada!] aparece um orkut fake e pede pra eu entrar no perfil e ver uma certa foto...
Bom, como toda boa curiosa, lá fui eu ver a foto: sim... tinha ela abraçando uma guria, tá, ele tava com a galera... mas sei lá né.. Na hora eu liguei pra ele e tals.. Ele confirmou q era ele na foto e blá blá blá...

Resultado: Crise, uma crise foda em que eu não sabia em quem acreditar[eu sempre fui meio perdida], afinal, se eu fosse homem, estivesse trêbada [muito mais que bêbada] eu duvidaria que eu não comeria uma guria que se jogasse em cima de mim, por mais que eu gostasse da minha linda, gostosa e maravilhosa namorada, tudo bem que eu iria pensar 200 mil vezes... Mas provavelmente no final eu ia mandar o mundo se foder e comer ela [sim, eu seria meio Don Juan se eu fosse homem.. Ah se eu fosse homem! =P]
Eu [que já tenho a auto-estima meio baixa] fiquei super confusa, falei com TODOS os amigos q foram e TODOS garantiram que não houve NADA. E, em uma conversa com meu namo da época ele disse que se perdeu da galera uma hora lá... E só foi encontrar o pessoal no ônibus...
Creio que eu nunca saiba a verdade... Mas eu confesso que foi super difícil pra mim, e que a partir desse acontecido eu perdi muito do bastante tesão que eu tinha por ele... [Sim! Eu continuei com ele!] Ele era tudo o que eu queria, tudo que eu gostava desde a primeira vez que eu vi ele... Eu PENEI pra conseguir conquistar ele [Sim! Eu que corro atrás!].. Nossa, eita piá difícil.

É triste isso =/

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Pergunta que o Tarô responde...

Carta do dia: O Louco

Momento de voar

A hora é esta, Aline: arriscar-se, atirar-se destemidamente na direção do novo. Ainda que muitas pessoas possam se apavorar e tentar lhe demover daquilo que sua alma interpreta como um novo impulso criativo, não se incomode. As pessoas falam porque estão viciadas em certezas e seguranças. Mas O Louco, arcano zero do Tarot, vem lembrar que, eventualmente, alguma loucura é mais do que bem-vinda! Ponha sua vida em movimento e lembre-se que é sempre momento de recomeçar. Evite o medo e não espere as coisas tomarem uma forma “certa” para agir. Vá!

Conselho: Momento de se atirar em novas direções, sem temor.

Pronto, tarô respondeu! Embora eu ainda esteja meio ansiosa e preocupada com muitas coisas...

Aiai! Acontece!

=**

domingo, 21 de setembro de 2008

Medo

Estou com medo de que o que estou sentindo seja mais uma das pirações que aparecem na minha vida.
O negócio é deixar ir sussegado. Sem ficar me preocupando, mas quem disse que eu consigo?

=x
=**

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Risos...

Um evento esporádico de natureza amigável me deixou bem feliz este final de semana...

Fazia tempo que eu não tinha um ataque de risada como o de sábado, e, foi jogando Wii!
E jogar Munchkin! E jogar Wii de novo... Dessa vez tênis de mesa, até fizeram um vídeo de mim e o Flubber jogando [entenda por pular muito e fazer caras engraçadas fora os movimentos estranhos!]

Melhor cena do sábado:
"Eu e Flubber saltitando e cantando: "eu vou, eu vou pra casa agora eu vou..." Enquanto íamos pro tubo, e o bom é que adiantamos um bom pedaço do percurso! Pena que ninguém dos nossos amigos viu!!! E uma mulher com uma criança olhou feio pra gente, do tipo: loucos! Ah! O Rudolf faz física, e eu... bem... eu sou criativa, feliz e super gente boa [moléstia ficou em casa, exato]"

Provas da minha vida... Essa semana começou com prova... Prefiro nem comentar o desempenho... E quinta tenho outra.. Mas espero ir melhor nela, até porque, não quero fazer esta matéria de novo... Pois eu já ESTOU fazendo ela de novo e de novo e de novo =D

Detaaaaaaaaaaaaaaaaaaalhes!
O que importa é que eu estou feliz.. Bem feliz =D

E estou com um sentimento estranho de que falta um anel na minha mão... =S
Mas nem falta, estranho...

=x

=***

domingo, 14 de setembro de 2008

Sim...

Eu sei que quase sempre eu fujo de situações "embaraçosas". Eu não gosto muito de ter pessoas que me digam o que fazer, embora eu sempre busque de alguma forma isso. Só que às vezes eu me rebelo, como se eu estivesse "presa" no meu próprio jeito de ser.
Muitas vezes não é nada pessoal contra a pessoa que me disse algo, é contra mim mesma. Porque eu não consigo trabalhar muito bem com isso.
No final, eu sempre, ou quase sempre vou fazer aquilo que me foi sugerido, por que eu sei que a pessoa que me disse isso, quer o melhor pra mim. Embora conceitos sobre "bem" e "mal", "ruim" e "bom" sejam altamente fontes de discussões!
Eu não quero perder a amizade e nem o respeito de ninguém. Eu tento fazer com que as pessoas me aceitem e gostem de mim, de uma forma tal que me faça sentir bem.
Eu sei que isso não é a coisa mais "sensata" nem a "ideal". Mas eu assumo, eu já sou carente por natureza, e eu estou MUITO carente. Transparece isso, eu sei que sim.

Peço desculpas se alguém se sentiu mal por alguma coisa que eu tenha feito/falado/querido fazer eu só tentei evitar uma catástrofe na minha vida.
Sim, eu não quero perder a amizade de ninguém.
Espero que me entendam, ou que simplesmente me aceitem.

=*

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Engraçado...

Às vezes eu acho que eu sou apenas mais uma ET que vive nesta socidade capitalista e altamente egoísta. Mas eu também sou assim. =O

Engraçado como eu me preocupo com coisas que eu nem deveria me preocupar. Eu sou exigente, quero o melhor para mim. Qual é o problema?

E se eu quiser me atirar do precipício? Você irá deixar? Eu já tenho asas, não tenho?

Tudo bem que você goste de mim. Mas gostar não é manter no cativeiro, ou é?

Não, não vou falar do que se trata, o que eu quero fazer e o que eu quero deixar de fazer.

Quem quiser que pergunte. E assim, acaba mais um post que talvez você não entenda nada do que eu estou dizendo.

=*

sábado, 6 de setembro de 2008

D&D e personagens

São tantas opções que eu mesma fico confusa.

A escolha mais frequente pela minha pessoa é uma elfa ranger, que luta com duas espadas.
Provavelmente porque é a personagem que mais se aproxima do que eu sou/seria se eu fosse da era medieval.

Aiai, mudei meu personagem 300 vezes, preciso conversar com a minha mestra para eu ver o que ela acha, o que ela deixa, enfim, detalhes.

Aline e a dualidade de ser um ser humano.

=*

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Halo ao redor do Sol




Quem viu?

"Um halo é um anel de luz que rodeia um objecto.

Os halos se formam a 5-10 quilómetros (3-6 milhas), na troposfera superior. A forma e a orientação particulares dos cristais são responsáveis para o tipo de halo observado. A luz é reflectida e refractada pelos cristais de gelo e pode dividir em cores por causa da dispersão, semelhante ao arco-íris."

By Wikipédia.

[Clique na imagem para abri-la maior!]


=*

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Você... Eu.

Te procurei em todos os lugares em todos os momentos.
Cansei de esperar, fui atrás.

Corri o mundo esperando encontrar aquele por quem eu morreria e à quem eu entregaria minha vida inteira, todos os momentos.

Eu quis te mudar, e assim me mudei.
Eu quis te consertar, e assim me consertei.
Eu quis te encontrar, e me encontrei.
Eu quis te esquecer, e só lembrei de você.

Pois você move minha vida, pois pra mim você é quem importa.
Pois você sempre está comigo. Você sempre me ouve. Você sempre me fala as coisas na hora certa. Você silencia quando é preciso. Você chora comigo. Você ri comigo. Você se importa comigo, até quando parece não se importar.

Você é aquela pessoa que me move. Meu ar. Minha vida.

Aline Vidoto de Oliveira. Eu te amo.

=P

=*

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Fome!!!

Por que a gordura pede tudo o que há de gordo!
Ainda não comi e tou com preguiça de ir comer! [Vai entender... ¬¬"]


To estressada, com dor nas costas e na cabeça, mau-humorada e anti-social.
Enfim, por isso to me isolando [pra ninguém sair ferido].

Meu pc agora [esses dias] cismou de funcionar a internet só no Linux [tem Windows tb], não sei porque!!!!!
To com vontade de jogar, acho que vou instalar SNES. Ou Diablo 2.

Antes de ontem fiquei tirando fotos, e fiquei com preguiça de abrir o windows pra passar as fotos... Ou seja, por isso que eu não atualizei o flog.

Mudei um pouco a estratégia do meu Tribal Wars, e no Popmundo tou upando "Música Africana" pra entrar em turnê com a Pati. E meu outro char, continua no Jazz.

Ontem me bateu um negócio ruim [eu to naqueles dias ruins] e eu fiquei meio assim...

Mas hoje, tou só com dor mesmo.

Até o próximo post! =*

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Jogos e sentimentos...

**Não! Não é mais um post meloso e confuso! [Não que eu não tenha assunto sobre isso]**

Eu fiquei reparando ontem como um jogo pode mecher tanto com a cabeça das pessoas...
Nhah! Atacaram minha aldeia no Tribal Wars, e, não é a primeira vez que isto acontece. Então, fiz o que qualquer outra pessoa faria: fiquei planejando uma vingança maligna, e, mandei fazer mais soldados nas aldeias...

E tipo, eu fiquei super-hiper-mega-ultra irritada com isso. Até que parei pra pensar:
"Se eu fico alterada por causa de uma """"bobagem"""" dessa será que eu não sei me controlar e sou imatura sentimentalmente falando?"
Bom, pra mim não é bobagem, é jogo, é competição, é algo IMPORTANTE!!

Isso não me faz alguém madura sentimentalmente, e também não é desculpa. Maaas...

Bem, to aqui na faculdade, gazeei uma aula pra ficar conversando, não resisti e vim ver se ninguém mais me atacou! [malditos...]

Ainda bem que não me atacaram. Senão já viu: mau-humor, irritação, Aline meio "fora do ar" por causa de um jogo pra pessoas [de 14 anos] que não tem mais o que fazer! [Não que eu não tenha nada pra fazer, mas eu não faço]

Nhah! To carente, mas não vou entrar em detalhes! Nhah!!!

Eu sou viciada em jogos... Ainda mais quando eu tenho que lutar pra continuar nele [e o jogo é legal] .

Bom, sem vícios como drogas e coisas por um lado. Mas, "interneticamente" falando total viciada e dependente, por falar nisso, será que alguém interagiu comigo no Buddy Poke! ?

=**

terça-feira, 12 de agosto de 2008

E...

Hoje eu estava toda feliz, cheia de energia e com milhões de vontades, até que...
Eu vi uma pessoa [importante pra mim] numa situação que eu não desejaria para ninguém e tals...

Então eu me senti mal. Por ser tão egoísta, por pensar só em mim.. e blá blá blá...
E fiquei assim, bateu uma depre, e perdi toda essa energia.

Eu que estava tão animada!
Eu não entendo! Não entendo o porque disso! Mas eu sei que a "culpa" é minha.

Eu deveria nem prestar atenção nisso mais! Mas...
Eu não desejo mal à ninguém. E ainda mais alguém que eu desejo perto de mim, noooossa.. Poxa. É tenso.

Dia estranho. Muito estranho.

Mas foi bom! Apesar de tudo!

=*

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Sabe quando...

Você beija alguém pensando em outra pessoa?

Você olha alguém que foi muito importante na sua vida e sente uma PUTA saudades?

Você sente uma puta vontade de chorar, sem saber ao certo porque?

Você parece somente ver o filme da vida passar na sua frente?

Você acha que não tem mais saída, e no outro dia acontece algo que você simplesmente muda?

Você segue uma pessoa, só para saber onde vai, porque sente saudades?

Você está tão carente que você pira?

Você, antes de dormir, pára e escreve uma carta para uma pessoa, e que você sabe que nunca vai entregar?

Você pára pra pensar e vê que sua vida não é nada empolgante?

Você pensa em procurar quem você jurou pra si mesma que não iria fazer isso?

Você quer fazer uma loucura?

Você quer gritar bem alto?

Você quer sair correndo?

Você quer fugir?

Você quer ficar sozinho?

Você se arrepende pelas coisas que NÃO fez?

Você se faz trilhões de perguntas, só pra dizer, estou com saudade, saudade de ser feliz. Não sei direito porque estou triste.

Se cuide.

=*

domingo, 3 de agosto de 2008

E então você vicia...

Em uma música.

E a música que estou viciada é:

> Ayreon - Beneath The Waves

Trecho:
"Beneath the waves we were unbeatable
In the silence of the sea;
In a world without frontiers
World without walls
Beneath the waves we were untouchable
In the kingdom of the free;
In a world without walls

Beneath the waves we were invincible
In the silence of the sea;
In a world without frontiers
World without walls
Beneath the waves we were inseparable
In the kingdom of the free;
In a world without walls"

Não sei descrever o que estou sentindo. Acho que estou com medo. Ansiedade.
Tudo porque eu não estou seguindo o que eu realmente queria fazer: procurar uma pessoa.
Eu estou me controlando. Acho que é melhor assim, a gente distante.

=*

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Saudade

Eu queria que o tempo parasse e eu pudesse fazer as coisas acontecerem diferente.
Um novo dia, uma nova esperança, um começo ou quem sabe um recomeço.
Eu queria que eu pudesse fazer tudo.
Eu sempre quis mais do que eu posso.

Queria poder te olhar, te sentir: sem mágoas, sem ressentimentos.
Queria poder olhar pra trás e dizer que valeu a pena.
Queria poder esquecer o quanto eu sinto sua falta.
Queria poder ter o poder de te excluir da minha vida.
Queria poder esquecer você e os bons momentos, pois eu sei que eles não voltam mais.

Queria você de volta, como amigo. Mas eu sei que na primeira oportunidade eu iria querer fazer tudo o que eu não fiz com você...
Queria não sentir mais nada, quando você olha pra mim, daquele jeito.
Queria ficar amarrada e não poder correr mais atrás de você.
Queria ouvir de você que a gente não tem mais nada a ver, pessoalmente.
Queria parar de escrever sobre você e pra você.
Queria esquecer as músicas, as cartas.. Todas que fiz pra você. E que mesmo excluindo do pc, continuam na minha memória.
Queria pegar a memória de coisas relacionadas à você e fazer um arquivo ".rar"
Queria sentir saudosidade quando penso em você, mas eu sinto saudade.
Muita saudade.

Não amarei mais ninguém, como eu te amei. Com ninguém mais será como foi contigo. Eu sinto uma saudade absurda. E faço loucuras pra tentar me controlar e não fazer besteira.

Eu sei que acabou. Eu sei que nunca mais será como foi. Mas eu ainda tenho esperança. Pq? Pq? Eu não quero isso, e tenho.

E se eu disser que eu sinto saudades de tudo, e principalmente de você. Você irá me expulsar da sua vida?

Eu quero tanto voltar a falar contigo. Tanto voltar a ser um pouquinho do que foi. Mas eu sei que não estou preparada pra isso, e talvez nem você.

Talvez um dia, talvez em algum outro lugar. Depois de um tempo, quem sabe a gente ainda não tem algo à resolver?

Sinto saudades. Saudade que dói e corrói meu peito toda vez que te vejo. Eu achava que não, que estava "curada". Mas existem feridas que mesmo fechadas ainda doem. Porque foi isso que sobrou: uma ferida, uma cicatriz. E assim, você marcou minha vida. E por causa dela que você não faz mais parte integrante do meu dia-a-dia.

Se há algum remédio pra ajudar a esquecer, eu quero. Essa dor que sempre volta, é uma tortura. Eu me afastei, fiquei longe, entrei em crise, quis desistir, por mim. Pois era tortura demais. Tristeza demais.

Então, pequenas coisas me deixam feliz, mas é só eu parar para pensar ou parar observar minha vida, que tudo isso volta, mais cedo ou mais tarde: eu vou estar morrendo de saudades de você.

Mas passa, sempre passa.

=*

terça-feira, 29 de julho de 2008

Férias, volta e muito mais.

"No need to feel the pain
No need to feel betrayed
No need to feel inane
No need to feel afraid."

[Trecho de Comatose -Ayreon]


Começo de semestre, férias não muito boas. Grandes projetos, pequenas certezas. Algumas mudanças.

É o resumo básico do momento vivido por mim.

Grande merda. Só mais uma pessoa neste pequeno mundo com tanta gente. Tentando se descobrir, evoluir e também se divertir em algumas partes deste árduo processo.

Grande coisa. Uma guria com 1,6m de pura gostosura, como diria alguém.

Grande diferença. São apenas alguns centímetros de cabelos a menos.

Grande férias. Realmente, o péssimo desempenho na faculdade fez eu ter umas férias maiores. Não fez nenhuma diferença.

07/07 - Presente pra mim! Ganhei coisas, bem legais, de pessoas super-hiper-importantes, incluindo eu mesma.

20 anos. Duas décadas. 2 vezes 10. 4 vezes 5. Me sinto com 15, =X, detalhes.

Saí pouco, limpei demais, me estressei demais. Rodolfo [pc] ficou fresco uns dias, mas ainda bem que já passou.

Resumindo de novo.

Sempre fui horrível em fazer resumos. Aprendi com o tempo, que nem tudo faz diferença, nem tudo importa.

"O importante é ter saúde." Muitos dizem, inclusive eu.

Eu quero um emprego, um estágio, um trabalho temporário. Iniciar minha carreira profissional. Fazer vestibular pra Artes Visuais na FAP. Quem sabe levar duas faculs...

Planos...

Joguei muito The Sims 2, e quando eu comparo a vida real à do jogo, minha mãe reclama, não sei o porquê! É só uma analogia mesmo!

Me isolei, me estressei, entrei em crise, saí de crise.

Agora, estou aqui, mais uma vez na frente do pc (Rodolfo querido!), saí de uma entrevista que não é pra mim, e logo eu recebo a notícia que não era mesmo. Nada contra, mas eu quero algum trabalho mais "reba" do tipo vai lá, "faz mal o que tem que fazer" e vai embora. Sem mais delongas.

Mas ainda vou encontrar! Você vai ver! [Ou não, não sei quem é você que está aí lendo! Não sou vidente ou coisa parecida]

Encerro aqui, torçam por mim, que eu arranje algum trabalho, emprego, estágio...
Divido os lucros contigo! [Comente pra eu saber quem é =P]

Boa noite. Sempre diga à quem você ama, os seus sentimentos.

=*

segunda-feira, 21 de julho de 2008

A vida é uma sucessão de vazios

A minha vida é uma sucessão de vazios.
Quando eu acho que fiz algo eu vi que na verdade eu não fiz nada do que eu queria.
E fico assim, nunca me realizo. Me sinto inútil. Só isso!

=/

=*

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Wishlist

  • Tapete DDR [Pretendo comprar]
  • Colar com pingente de dragão ou anel de dragão.
  • Pen drive.
  • 10zão. =P
  • Bichinho de pelúcia.
  • CD's. [Coldplay, Jack Johnson, Metallica, Rammstein, Beseech, Fastball, Red Hot Chili Peppers, entre outros]
  • Amigos.
  • E o que mais você olhe e pense: É a cara da Aline.

Fechou! Alguma dúvida? Tá! Eu falei que não queria presente.. Mas caso alguém queira me dar alguma coisa... =P

=***

terça-feira, 24 de junho de 2008

Prazer, meu nome é Chiclete!

Mas pode me chamar também de goma de mascar...

Acho que estou sendo cada vez mais grudenta, também chamada de chiclete.
Acontece! Afinal, estou carente, MUITO carente.
Mas ninguém é o culpado disso. Talvez ninguém além de eu mesma. Já isto, é outra história.

Gostaria de escrever que meu propósito nunca foi o de grudar em alguém.
Dizem que é característica do signo, e blá blá blá.
Mas eu discordo.

Tudo é culpa de eu não fazer nada. Pois assim, eu tenho mais tempo de pensar besteira e ficar pirando de 148972576465414 -> infinito [tendendo ao infinito] maneiras.
Não é culpa sua, é minha. Prontofaleitudo.

Então, já planejei meu futuro:
=> [se, e somente se] eu conseguir passar em Cálculo 3, eu vou continuar nesta roda sem fim de estudo...

=> eu não conseguir passar em Cálculo 3, eu vou... [conteúdo suprimido pelo sistema totalitário deste blog]

Nada contra esta subjulgação da mente para o trabalho "forçado" de estudar um monte para no final não usar nada disso quando for trabalhar.... NADA contra! Imagina!

Eu a-d-o-r-o estudar, ainda mais depois de se matar e tirar nota baixa.

Bom, ninguém disse que era fácil. Eu ACHEI que era. Grande ilusão => grande desilusão.
Acontece!

Logo, logo vem as férias, meu vigésimo aniversário, muitas decisões.
Conto com vocês! [1, 2, 3, 4, ...]

=***

domingo, 22 de junho de 2008

Faltam 15 dias

Pro meu aniversário.

Antigamente eu faria uma contagem regressiva esperando ansiosamente a chegada deste dia.
Mas, o tempo passa, e enfim, é apenas mais um aniversário.

20 anos.
Como se não bastasse, faço duas décadas. Não seria nada demais se nosso sistema de contagem fosse de 7 unidades.. essas coisas, mas ainda assim é um puta impacto.

20 anos.
E o que eu fiz da minha vida?
Nhah! Nada demais! Mas eu sinto que ainda falta algo. Bom que falte, senão eu já poderia ter partido dessa... Hohohoho

20 anos. Estou velha já. Parece que foi ontem minha festa de 15 anos. Aquela mesmo! Que eu convidei meus "amigos" e ninguém foi... Detalhes! Acontece! Na próxima eles vem... e de 19? Ninguém dos meus "amigos" foi também! Detalhes!

Não quero festa!
Muito empenho pra nada. No final, ninguém vem mesmo. =D

Não quero presente!
Nhah, pra que? Me dê presente em comemoração ao dia do Índio, é mais original.

Cansei desses aniversários malditos. ¬¬"
Nada contra o dos outros, é pessoal com o MEU aniversário.

E eu estou de cara! Odeio final de semestre. Estou carente, e isso é uma fucking merda.


Eu cansei de tudo. Não sei se vale a pena. E estou em crise porque meu níver está perto.
Eu tenho que estudar, e a vontade? Onde está? Escondida! Só pode ser!

=/

Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaas, eu supero, eu tenho que superar no final das contas...
Malditooooooooos aniversários, malditooos finais de semestre, malditos!

Não quero mais brincar disso... Vou chamar TODAS as minhas AMIGAS pra sair.
E alguém pra conversar...


=***

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Muitas decisões...

Então...
A tempestade passa. Sua casa está lá, derrubada, arruinada. Você achou que aquele pesadelo todo iria se tornar seu futuro por muito tempo, e, no entanto, ela se foi antes que você pudesse dar fim naquilo que você tem de mais precioso.

Estrago feito, e você se vê desabrigado, desamparado, como se o chão tivesse se aberto ao seus pés, e você estivesse caindo rumo ao interior magmático da Terra.

Chega o Sol, as pessoas que também tiveram suas casas arruinadas. Não, você não precisa mudar de lugar onde mora por causa de uma tempestade. Mas você não quer mais aquele lugar que tanto te fez sofrer. Até que as pessoas que estavam apenas ouvindo seu lamento, olham pra você e dizem: "Iremos te ajudar a reconstruir". Então você agradece a Deus, os bens adquiridos que você perdeu não eram nada, tudo o que você conseguira até ali, ainda estava com você de alguma maneira, mas o mais importante, você tinha com quem contar.

Assim que eu desisti de desistir do meu curso na faculdade.
A vida continua.
No final a resposta estava na cara e eu não vi:
"
É uma graduação que eu simplesmente só terminaria."
Acho que eu aprendo a gostar das áreas de trabalho.
Mas isso não quer dizer que não irei tentar vestibular no final do ano.

E eu queria estar com uma certa pessoa. Grudada. Olhando pra ela. Beijando ela. Fazendo coisas com conteúdo 18+ que crianças insistem em fazer também. Não sei pra que!
Eu gostava tanto de brincar. =/

Criança interior implorando pra brincar de novo... hahahhaha
Eu quero você, só você: agora, amanhã, depois, toda hora...

Grudenta pra caralho! Aliás... pra porra... Hohohohoho

=*

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Change


Carta do Dia:

10. Mudança


A vida segue repetindo-se despreocupadamente -- e a menos que você se torne muito consciente, ela continuará se repetindo, como uma roda. Por isso é que os budistas chamam a isso de roda da vida e da morte -- roda do tempo. Tudo se movimenta como uma roda: ao nascimento se segue a morte, à morte o nascimento; ao amor se segue o ódio, ao ódio o amor; ao sucesso se segue o fracasso, ao fracasso o sucesso. Basta olhar à volta...

Se lhe for possível observar apenas por alguns dias, você perceberá um padrão se definindo: o esquema da roda. Em um dia, numa bela manhã, você se sente tão bem, tão feliz e, no outro dia, está chateado, tão infeliz, que começa a pensar em cometer suicídio. Há apenas alguns dias você se sentiu tão cheio de vida, tão abençoado, que agradecia a Deus, pois você estava num estado de espírito de profunda gratidão, e hoje há um grande sentimento de inconformismo, e você não vê razão que justifique continuar vivendo...
E essa alternância vai se repetindo, mas a gente não chega a perceber o padrão.
Uma vez que você perceba o padrão, você pode libertar-se dele.

Osho Take it Easy, Volume 1 Chapter 7
Comentário:

O símbolo desta carta é uma roda enorme que representa o tempo, o destino, o karma. Galáxias orbitam em torno desse círculo que está em constante movimento, e os doze signos do zodíaco aparecem à sua volta. Na parte de dentro da circunferência estão os oito trigramas do I Ching, e mais próximo ao centro aparecem as quatro direções, cada qual iluminada pela energia do relâmpago. O triângulo giratório neste momento está apontando para cima, em direção ao divino, e o símbolo chinês do yin e yang, macho e fêmea, o criativo e o receptivo, fica no centro.
Com freqüência tem sido dito que a única coisa que não muda no mundo, é a própria mudança. A vida está mudando continuamente, evoluindo, morrendo e renascendo. Todos os opostos têm um papel nesse vasto esquema circular. Se você se agarrar à borda da roda, poderá ficar tonto! Avance em direção ao centro do ciclone e relaxe, sabendo que esse estado também passará.

---\\---

Sinto que isto é uma mudança.
Mudanças ocorrem rápido, e talvez cheguem aos poucos.
Só aqueles que compreendem que mudar faz parte do processo que aceitam de uma forma plena e rápida.
Quanto menos tempo você perder para se decidir, melhor será.
Mas tem que saber se é isto mesmo que vai mudar sua vida.
Ou se você apenas só se "apaixonou" pela situação vivida.
Até que você deixa de molho, e a decisão sai de você como uma borboleta que estava no casulo.
Sai linda, e como deveria ser.

Não vou dizer que as experiências não serviram para nada e que foi tempo perdido.
Não foi tempo perdido.
Eu aprendi muitas coisas.
Conheci pessoas pelas quais eu morreria. E outras que eu não gosto de olhar. =P
Detaaaalhes. Aprendi muitooo mesmo!
Mas essa é a hora. Não posso mais fugir.
Descobri que eu mudei. E que este não é mais meu curso.
É uma graduação que eu simplesmente só terminaria.
Não seguiria fielmente a profissão.
Não quero ser Engenheira Ambiental.

É isso.
=*

domingo, 11 de maio de 2008

Tarô Zen de Osho

[Clique no título acima para ser redirecionado para a página onde você poderá tirar uma carta.]

Me desculpem se eu fui um pouco ácida demais nos posts anteriores.
Eu não tenho motivo para reclamar daquele jeito. Tanto que eu editei o post anterior.
Só deixei as coisas que realmente "importam".


Entrei neste site do Tarô Zen de Osho e tirei cartas (Com todas as cartas):
> Carta do Dia
> Relacionamentos
> Disposição Geral

Colocarei aqui o resultado, primeiramente, dos Relacionamentos, e depois da Carta do Dia:

Relacionamentos:

1ª carta -
Você e o que você está contribuindo para a relação aqui/agora:

15. Condicionamento
A menos que você abandone a sua personalidade, você não será capaz de encontrar a sua individualidade. A individualidade é dada pela existência; a personalidade é imposta pela sociedade. Personalidade é conveniência social.
A sociedade não pode tolerar a individualidade porque a individualidade não acompanhará o rebanho, como uma ovelha. A individualidade tem a natureza do leão: o leão move-se sozinho.
As ovelhas estão sempre em rebanho, na esperança de que estar em grupo será aconchegante. Em meio à multidão, o indivíduo sente-se mais protegido, seguro. Se alguém atacar, na multidão há todas as possibilidades de você se salvar. Mas, e estando só? -- apenas os leões andam sós.

Cada um de vocês nasceu leão, mas a sociedade está sempre condicionando, programando a mente de vocês como ovelhas. Ela lhes imprime uma personalidade, uma personalidade agradável, simpática, muito conveniente, muito obediente.
A sociedade quer escravos, não pessoas que sejam absolutamente dedicadas à liberdade. A sociedade quer escravos porque os interesses estabelecidos querem obediência.

[Osho One Seed Makes the Whole Earth Green Chapter 4]

Comentário:
Esta carta lembra uma antiga história Zen a respeito de um leão que foi criado por ovelhas, e pensava que era uma delas, até que um velho leão o capturou e o levou até um lago, onde lhe mostrou o seu próprio reflexo. Muitos de nós somos como esse leão -- a imagem que temos de nós mesmos não advém da nossa própria vivência direta, mas das opiniões dos outros. Uma "personalidade" imposta de fora substitui a individualidade que poderia ter se desenvolvido de dentro. Nós nos tornamos apenas mais uma ovelha no rebanho, incapazes de nos movermos livremente, e inconscientes da nossa verdadeira identidade.
É hora de dar uma olhadela no seu próprio reflexo no lago, e de tomar a iniciativa de libertar-se do que quer que lhe tenha sido imposto como condicionamento pelos outros, com o objetivo de fazer você acreditar em qualquer coisa a seu respeito. Dance, corra, mexa-se, fale uma língua inexistente -- tudo o que for necessário para acordar o leão adormecido dentro de você.


2ª carta -
O outro - a entrada do outro na relação.

66. Pesar
Esta dor que o aflige não deve deixá-lo triste, lembre-se disso. É este o ponto que as pessoas continuam a não compreender... Esta dor é apenas para deixá-lo mais alerta -- porque as pessoas só ficam atentas quando a seta vai fundo no seu coração e as fere. De outra maneira, não despertam. Quando a vida é fácil, confortável, conveniente, quem se preocupa? Quem se dá ao trabalho de ficar alerta? Quando morre um amigo, apresenta-se uma possibilidade. Quando a sua mulher o abandona -- naquelas noites escuras, você sente solidão. Você amou tanto aquela mulher e arriscou tudo por ela e, então, de repente, um dia, ela vai-se embora. Chorando na sua solidão... essas são as ocasiões em que, sabendo aproveitá-las, você poderá tornar-se consciente. A seta está ferindo: então é possível usá-la. A dor não existe para fazê-lo infeliz: ela está aí para torná-lo mais consciente! E quando você se torna consciente, a infelicidade desaparece.

[Osho Take it Easy, Volume 2 Chapter 12]

Comentário:
Esta figura é de Ananda, primo e discípulo do Buda Gautama. Ele esteve ao lado do Buda constantemente, cuidando de cada necessidade dele por quarenta e dois anos. Quando Buda morreu, conta-se que Ananda estava ainda a seu lado, chorando. Os outros discípulos repreenderam-no por ele não estar entendendo: Buda havia morrido completamente realizado; Ananda deveria estar celebrando! Mas Ananda respondeu: "Vocês é que não estão compreendendo. Não estou chorando por ele, mas por mim mesmo, porque ao longo desses anos todos eu estive constantemente ao seu lado, e mesmo assim não consegui atingir". Ananda ficou acordado a noite inteira, meditando profundamente e sentindo sua dor, sua tristeza. Diz a história que, quando o dia amanheceu, ele estava iluminado.

Tempos de grande sofrimento trazem em si, potencialmente, tempos de grande transformação. Para que a transformação aconteça, porém, precisamos ir fundo às raízes da nossa dor, vivenciando a dor exatamente como ela é, sem culpa e sem autopiedade.


3ª carta -
As energias compostas.

37. Indo Devagar
A meditação é uma espécie de remédio -- seu uso será apenas passageiro. Quando você tiver apreendido a qualidade, não precisará praticar mais nenhuma meditação em particular, pois a atitude meditativa é que deverá permear todos os cantos da sua vida.
Andar é Zen, sentar-se é Zen.
Qual será então essa qualidade? A pessoa passa a andar de maneira vigilante, alerta, alegremente, sem metas a atingir, centrada, com amor, deixando-se fluir. E o caminhar é despreocupado. A pessoa senta-se com amor, alerta, vigilante, desinteressadamente -- sem estar buscando alguma coisa em especial, mas apenas desfrutando a beleza do sentar-se sem fazer nada, o quanto isso é relaxante, repousante...
Depois de uma longa caminhada, você se senta à sombra de uma árvore, e a brisa vem e o refresca.
A cada momento é preciso que a pessoa esteja bem consigo mesma -- não empenhada em melhorar, cultivando alguma coisa, praticando alguma coisa.
Andar é Zen, sentar-se é Zen.
Falando ou em silêncio, movimentando-se, em repouso, a essência está à vontade. A essência está à vontade: esta é a idéia-chave. A essência está à vontade: esta é a afirmação-chave.
Faça o que quiser, mas, no âmago mais profundo, permaneça à vontade, frio, calmo, centrado.

[Osho The Sun Rises in the Evening Chapter 7]

Comentário:
O Cavaleiro do Arco-Íris é um lembrete de que, exatamente como a tartaruga desta carta, nós também levamos conosco a nossa casa, aonde quer que vamos. Não há necessidade de apressar-se, não é preciso procurar abrigo em nenhum outro lugar. Mesmo quando mergulhamos nas profundezas das águas da emoção, podemos manter-nos abrigados em nós mesmos, imunes a dependências.
Há um momento em que você se prepara para deixar de lado quaisquer expectativas que tem cultivado a seu próprio respeito, ou a respeito de outras pessoas; prepara-se para assumir a responsabilidade por quaisquer ilusões que possa ter estado carregando. Nessa hora, não há necessidade de fazer nada, bastando repousar na plenitude de quem você é neste exato momento. Se os desejos, esperanças e sonhos estão se tornando vagos, tanto melhor. Seu desaparecimento está abrindo espaço para um novo clima de tranqüilidade e de aceitação das coisas como são. Você irá sentir-se capaz de dar as boas-vindas a esse crescimento pessoal, de uma maneira que nunca esteve antes ao seu alcance.
Desfrute essa sensação de diminuição do ritmo, de se aproximar do repouso, e de reconhecer que você já está em casa.


4ª carta -
O insight.

73. Compromisso
Não queira ser esperto, caso contrário, você permanecerá sempre o mesmo, nunca mudará. Soluções de conciliação nos caminhos do amor, e na senda da meditação, criarão muita confusão em você. Elas não ajudarão...
Como pedir ajuda vai contra o ego, você tenta acomodar uma situação fazendo concessões. Esse acerto será mais perigoso, ele o desorientará mais, porque, feito com base em coisas mal esclarecidas, só poderá confundir tudo ainda mais.
Desse modo, tente entender primeiro o motivo pelo qual você parece estar sempre pronto para fazer concessões. Mais cedo ou mais tarde, você será capaz de compreender que fazer concessões não adianta. A concessão pode ser uma maneira de você não ser obrigado a optar entre caminhos alternativos, ou pode ser apenas a repressão da sua confusão. Isso acabará virando um hábito. Nunca reprima nada, seja muito claro a respeito do que está sentindo. E se você estiver confuso, procure ter consciência disso. Esta será a primeira coisa claramente definida a seu respeito: que você está confuso.
Assim, você terá dado início à caminhada.

[Osho Dang Dang Doko Dang Chapter 4]

Comentário:
Nas cortes do Japão antigo, os serviçais masculinos eram, com freqüência, escolhidos entre as fileiras dos pequenos delinqüentes, que eram castrados. Em razão da familiaridade íntima que tinham com as atividades palacianas, esses serviçais estavam freqüentemente no centro das intrigas políticas e sociais, e exerciam muito poder nos bastidores.
As duas figuras desta carta nos trazem à lembrança as situações delicadas e conspiratórias em que podemos nos meter quando fazemos concessões no que se refere à nossa própria verdade. Uma coisa é encontrar-se com o outro a meio caminho, compreender um ponto de vista diferente do nosso e trabalhar no sentido de harmonizar forças contrárias. Coisa muito diferente é ceder à pressão e trair a nossa própria verdade. Se olharmos a fundo o que ocorre neste último caso, descobriremos que normalmente estamos tentando tirar proveito de alguma coisa -- quer se trate de poder, ou da aprovação de outras pessoas. Se se sentir tentado, cuidado: as recompensas por esse tipo de concessão deixam sempre um gosto amargo na boca.


Carta do Dia:

39. Possibilidades
A mente pode aceitar fronteiras em qualquer lugar. A verdade, porém, é que, por sua própria natureza, a existência não pode aceitar fronteiras de espécie alguma, pois o que haverá do outro lado do muro? Céu e novamente um outro céu. Por isso é que estou dizendo que céus sobre céus estão disponíveis para o seu vôo.
Não se contente facilmente. Os que se contentam com pouco permanecem pequenos: pequenas são as suas alegrias, pequenos são os seus êxtases, pequenos são os seus silêncios, pequeno é o seu ser.
Mas não há necessidade disso!
Essa pequenez é uma imposição que você mesmo faz à sua liberdade, às suas possibilidades ilimitadas, ao seu potencial sem limites.

[Osho Live Zen Chapter 2]

Comentário:
A águia tem uma visão panorâmica de todas as possibilidades existentes na paisagem lá embaixo, enquanto voa livremente pelo céu, com naturalidade e sem qualquer esforço. Ela está realmente no seu domínio, majestosa e senhora de si.

Esta carta indica que você se encontra num ponto em que um mundo de possibilidades lhe é oferecido. Por ter desenvolvido mais amor para consigo mesmo, por estar mais pleno de si mesmo, você consegue trabalhar facilmente com os outros. Por estar relaxado e à vontade, você é capaz de reconhecer possibilidades à medida que elas se apresentam, algumas vezes até antes que outros as consigam perceber. Por estar em sintonia com a sua própria natureza, você compreende que a existência lhe está proporcionando exatamente aquilo de que você precisa.
Aproveite o vôo! E celebre todas as variadas maravilhas da paisagem aberta diante de seus olhos.

Conclusão:
É! Fui criada por ovelhas. Vou até o lago mais próximo para descobrir minha própria face.
E sim, o outro entrou na relação com pesar. Ele não estava com pesar, eu estava. Até que decidi Ir Devagar, tanto que eu estou andando lento no campo dos relacionamentos, faz tempo que estou sozinha por opção. Eu tento fazer concessões para que as coisas se resolvam mais fáceis. Aquela velha história de tentar agradar a todos que gosto. Mas isto também não deve ocorrer. E fechamos com as possibilidades.

Acho que eu acabei meio que "restringindo" minha possibilidades.

=*