_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

O encontro com a fada verde


Era mais uma viagem como tantas as outras, esta em particular era parecida com a do dia anterior. Mas a paisagem mudava com os diversos tons de verde que cintilavam com a luz do sol e a sombra das nuvens, em sua maioria eram plantações de soja e milho.
Havia uma tristeza sem fim no dia anterior, algo que nem a própria pessoa que a sentia sabia porque aquilo estava acontecendo, alguns diriam que ela estava prevendo...
Quando vieram buscar as duas não havia mais uma gota de lágrima a ser derramada, a fonte fora totalmente secada no dia anterior. Por causa das causas humanamente inexplicáveis ocorreu um fato, ela e sua amiga encontraram um outro caminho, levadas pelo destino percorreram distâncias nunca dantes adentradas, em uma outra visão, um outro empenho e quiçá uma outra dor.
E o pânico virou torpor, o indescritível se tornou motivo de riso e os problemas viraram pó na imensidão de nuvem de poeira vermelha rodeada pelos verdes-amarelos-marrons.
Em uma decisão simples houve uma troca de postura, troca de visão, troca de ônibus. Com o incentivo certo mergulhei na parte mais profunda do meu ser e entendi. Como uma epifania que ocorre em dias quentes, ter um sonho certo ou até mesmo perceber que a fada verde guiou seu caminho até a próxima decisão.
E ela nasceu e ganhou força com a maior facilidade pois parecia que cada ponto anterior ao fato contribuiu para este momento, como dizer que gosta e do que sente falta.
Somente um fazia um contraponto, um dos grandes, muito grande, muito forte, talvez mais importante do que ela conseguisse admitir pra si mesmo. Somente um motivo fazia com que a decisão ficasse difícil, mas o mesmo tornava a possibilidade interessante. Como ao transgredir uma regra sentia o gosto do perigo no ar, e aquilo a excitava ainda mais a continuar.
E assim foi perfeito, estranho e mais uma vez tornou a quebrar, mil pedaços de coração lançados ao vento.
Enebriada pela vontade de esquecer tudo o que a fazia triste não pela primeira vez ela chorou, algo que tinha se tornado comum nos últimos dias.
Sem entender como e porque ela chorou mais uma vez, e outra, e outra, abriu seu coração e quis destroçá-lo, quis deixar de sentir, de sofrer, de chorar mas não sabia o que fazer, qual caminho seguir. Ao invés de utilizar a sua espada para matar todos os medos, ela matou a única pessoa que importava para ela, não pela primeira vez...

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Solomun - Around


Have you ever felt like
You've been hurt before?
By the ones that said
They only loved you more?

Inflicted pain and scars of sorrow
Like an empty shell I wait for tomorrow
I sit here wondering why you walked away
Did I ever do you wrong in any way?

Was it something I said to
You that made you change?
There is no more sun.
There is only cloudy days.

What goes around will come around and come back and get ya

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Verso do avesso


Avesso.
Retrocesso.
Aceso.
Inverso.

Tempestade de areia
em um copo d'água
Vidro,
quebrou.