_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

A vida continua...

Mas é difícil não pensar em certas coisas que rodam o ínfimo suspiro de vida. Por que a vida é tão frágil. E às vezes a gente nem percebe o quão tolos estamos sendo. Brigamos por poucas coisas, enquanto devíamos nos abraçar e dizer "eu te amo".

É difícil não pensar que poderia ser pior. Que poderia ser alguém com quem eu convivo, alguém que eu estimo tanto. Por mais que não fosse minha avó de verdade. Era como se fosse. E só agora que eu me dei conta disso.

Eu fui avisada, eu sei. Mas eu não quis escutar. Eu sabia que eu não poderia fazer nada. Ela descansou.

Perdi mais uma avó. Uma avó que eu nem conhecia direito. Uma avó que cuidou das minhas primas [netas de sangue] com tanto amor e carinho. É natural que ela não acerte sempre, e que não entenda algumas coisas.

Uma mulher forte, e que enchia a casa com sua presença. Sempre sorrindo e produzindo coisas. Com seus crochês maravilhosos. Com sua simpatia.

E assim, eu fico pensando merda. Bom, no fim, eu tenho minha família. Isso é irrevogável.

Eu tenho muito medo de no fim acabar sozinha.

Eu tento parecer forte. Mas eu sou mais uma proprietária de tolices sem tamanho. Talvez eu engane bem. Sei lá. Ficar acordada e mals de renite não me fez nada bem. Embora eu insistisse em ficar lá. E dar uma força. Eu não vou privar ninguém de minha companhia nessas horas. Fico do lado até o fim.

Se você é meu amigo. Se eu gosto de você. Fica vivo[a]. Fica bem! Se cuida!

=*

3 comentários:

  1. Esses momentos sempre são difíceis... mas sempre nos deixam uma lição ou duas. Creio que a melhor forma de honrar aqueles que partem é guardar essas lições no coração.

    ResponderExcluir
  2. Sei bem como é essa parada de morte ;/
    Ainda não consigo me acostumar com o fato de que ela não vai abrir a porta da cozinha, entrar e xingar todo mundo, rir com aquela voz grave e agradável, quase rouca, e vir me dar um abraço.
    Lembro exatamente de como era a sensação de dar um beijo no rosto dela, a pele tão macia quanto a da Cinthia, quentinha.
    Lembro, também, com a mesma facilidade como foi triste dar um ultimo adeus pra ela no hospital, como ela estava fria. >_<
    *para e chora um pouquinho*
    Eu não sei como o Miro e o Leon tão aguentando. Eu to tendo uma dificuldade enorme ;~~
    É foda perder alguém que se gosta muito ;/

    Amo-te ;*

    ResponderExcluir