_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Segundo Parágrafo

Logo planejamos uma invasão ao castelo, uma mulher da Rakkma [caçam mind-flayers] se juntou à nós. Custou caro pra entrar pela "porta-dos-fundos", também conhecida como "passagem-secreta". Depois de alguma dificuldade para passar pelos guardas, mesmo invisíveis. Batalhamos, e matamos o rei mind flayer, mas a integrante da Rakkma morreu.

Quando estávamos voltando pro nosso QG temporário vimos que tinha uma movimentação estranha em frente aquela casa dos mind flayers. Conversamos com o grupo de Rakkma que a mulher pertencia e entramos na "casa estranha".

Fomos para a lendária inexistente cidade subterrânea. Descemos uma grande escada, passamos por uma passagem secreta em uma praça cheia de casas, mas sem pessoas. Seguimos o grupo da Rakkma e nos perdemos deles em uma bifurcação, então ouvimos uma canção anã, seguimos o caminho que parecia melhor.

Batalhamos contra os mind flayers que se aproximaram demais da gente. Procuramos o templo onde estaria a caixa. Encontramos um prisioneiro dos mind flayers, Ragnar, um humano criado por anões, libertamo-o. Achamos a caixa, mas a sala estava cheia de armadilhas. Caímos em muitas delas, e dificilmente conseguimos nos livrar, mas conseguimos sair.

Pegamos a caixa, colocamos na carroça, e partimos. Na viagem, o Ragnar e o Bubble me ensaboaram e de repente, quando acordei, "tirei" minha pele cinza claro, eu nem sabia que eu era uma humana. O mundo de repente ficou confuso demais pra mim. Os conflitos internos foram grande demais. Então eu fui enganada por todo este tempo? Por que? Pra quê? Por quem? Perguntas que talvez nunca serão respondidas. Certo mesmo é que esta situação fora muito constrangedora para mim, mas todos acreditaram quando lhes contei a verdade.

[vou precisar de ajuda dos queridos players pra me ajudar a terminar pelo menos até um pouco antes dela morrer, sei lá =P]

Nenhum comentário:

Postar um comentário