_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Ela e ele

Ele não conseguia acreditar que ela estava ali...

Depois de tanto tempo ela simplesmente surgiu em sua porta deste jeito: com esta cara de 'cachorro pidão' como quem diz "o que eu perdi? me aceita de volta?".

Ele esperava que ela o esquecesse, o odiasse ou apenas tirasse ele da cabeça, mas apesar de todas as tentativas tudo foi em vão. Ela não conseguia esquecer ele, ela não conseguia odiá-lo por entender automaticamente seus motivos e até mesmo porque ela sabe que no lugar dele teria feito pior, ela não conseguia tirar ele do coração não importasse o que tivesse acontecido. Mesmo se a morte os separasse, ela ainda carregaria ele em seu coração e em sua mente, como uma conexão inquebrável.

Ela estava de volta, ele estava confuso mas a deixou entrar.

Ele precisava de ar, como ela estava ali de volta? Ele tinha se assegurado de ter feito tudo errado para afastá-la e isso só a atraiu ainda mais pro seu mundo. Ele tinha medo de fazê-la infeliz. Ela tinha medo de perdê-lo. Ele queria um futuro melhor para ela. Ela queria que ele não a descartasse ou a abandonasse quando soubesse como ela poderia ser malvada e toda errada. Ele não queria magoá-la. Ela queria magoá-lo por ter sumido, mas não conseguia, como alguém conseguiria machucar ele? Impossível! Ele é perfeito demais pra ela. Ele só tem medo de não ser tudo o que ela imagina. Ela não se importa, somos humanos certo? Todos temos defeitos e apesar de eu não ter descoberto os seus eu ainda quero tentar... Ele não sabia ao certo o que dizer, então foi fazer um café. Ela começou a ter uma crise de insegurança pela falta de palavras e ações, então fugiu pela janela da sala. Quando ele voltou ela não estava: tinha partido. E na mesa de centro só tinha uma rosa branca com uma gota de lágrima.

Acaba o primeiro ato, fecham-se as cortinas.