_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

E eu achei um trevo da sorte...

[Aviso: Este texto será submetido a revisão algum dia, portanto não reclame]
Era mais um dia relativamente comum na vida de Aline [sim, eu!], acordei mais ou menos na hora certa, fui trabalhar, li um pouco, almocei. Aproveitei que minha irmã ia na auto-escola e fiz a minha matrícula de carro-moto, voltei a trabalhar, o pessoal veio para tirar todas as cadeiras e mesas alugadas e nós ficamos sem onde sentar. Enfim dispensados fui ao banco, no caminho liguei para ele mas ele não atendeu, no banco paguei a taxa do Detran, liguei pra ele e ele estava ocupado. Fui ao supermercado e caminhei até a auto-escola, entreguei o comprovante de pagamento da taxa e quando eu estava saindo, ele ligou eu sentei numa calçada ao lado da auto-escola e enquanto conversávamos achei um trevo de quatro folhas e como eu verei ele logo achei que nada era mais justo que entregar o trevo de presente [num invólucro de plástico ;D], conversamos alguns alegres e sublimes minutos [que eu estenderia por HORAS fácil...]. Fui pro Terminal, peguei o ônibus e rumei até o centro. Chegando lá, no caminho até o Shopping Mueller eu comprei uma carteira nova, passei na Livrarias Curitiba onde cumprimentei meus ex-colegas de trabalho e me dirigi ao piso do cinema, comprei meu ingresso e fiquei lendo Brisingr até a hora da Andressa chegar. Assisti o penúltimo filme do Harry Potter, e posso dizer? Tesão de filme! Recomendo!

=*

domingo, 28 de novembro de 2010

Thor, o temível.

Do alto do Montanha do Céu estava o dragão mais temido de toda a Terra-Média: Thor, o temível. Mas o que os aldeões dos vilarejos mais perto não sabiam era que no âmago o dragão se sentia vazio. Ele tinha uma pilha de ouro que era mais alta que o Portal do Infinito, e maior do que a maior cidade da Terra-Média: Guadnaguim, mas o ouro por si só não o satisfazia.
E um dia, cansado dessa vida monótona de devorar todos que encontrava e queimar tudo ao redor da Montanha, ele voou para além-mar à oeste da Montanha, achou uma ilha que tinha tudo o que ele precisava, mudou todo o seu ouro para o cume do Monte e esperou a morte chegar.
Tudo o que ele queria era alguém que o compreendesse, e alguém para brincar de travas línguas enquanto tremia de medo por estar frente a frente com o maior dragão de todos os tempos. Passou muito tempo mas ninguém chegou a Ilha da Perdição. Ainda há histórias do dragão perambulando por toda a Terra-Média embora muitos não acreditem mais, pois a Montanha do Céu é um lugar de peregrinações e ao redor dela tem a melhor pastagem. Não sobrou nenhum vestígio de Thor. E assim, mais uma Era se passa, esquecida do seu maior medo.

*Clique em cima para ver o link*

sábado, 27 de novembro de 2010

Crises...

Acabei de sair de uma crise dos 5 minutos, devido a um fato tenso. Mas eu decidi jogar "tudo" pro alto. Foda-se.

Eu não sou a melhor pessoa do mundo, eu sei. Eu tento e me esforço, mas às vezes não é o suficiente. Eu queria ser uma das suas "pessoas importantes", mas eu não sou. Desde o começo eu soube que eu sofreria muito quando eu olhei pra você. É triste, até porque você é a pessoa que eu confio de olhos fechados. É triste, porque eu achei que merecia ser feliz contigo, só que você não me quer da mesma maneira...

Você sempre foi especial pra mim. Eu tentei, eu juro que tentei, tentei até demais eu acho. Tentei ser uma pessoa diferente para que você não me largasse. Tentei ser perfeita [de novo, droga ¬¬"] pra você. Tentei não cobrar e ficar de boa, mas eu ainda sinto ciúmes. E eu odeio sentir ciúmes, por isso eu vou cair fora.

Odeio me sentir fraca e insegura. Odeio me sentir com a auto-estima lá embaixo.

Vou mergulhar no meu mundo, e não vou mais sair. Fim.

=*

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Tema indeterminado

Oi! Então, eu estava afim de escrever aqui no meu blog mas o tema vinha e eu esquecia. Assim, decidi escrever do mesmo jeito, mesmo não tendo pé nem cabeça, tema ou conto.
Hoje descobri que passei pra segunda fase do vestiba pra UFPR, acertei 41 questões. Ontem tive uma crise de choro. Eu queria ganhar um bichinho de pelúcia >.< [mimimimi]

Quero viajar neste final de ano para a praia. PRECISO infinitamente ver a primeira parte do último filme do Harry Potter. Enfim, é isso aí.

Eu estava meio angustiada por causa de umas paradas aí. Mas ah, deixar rolar né?! Não se pode ter tudo o que quer, e aliás, tá bom assim, não tá?! Quem eu quero não me quer da mesma maneira que eu quero. E quem me quer, eu não quero. Logo, ficar com quem não me quer da mesma maneira.

Eu quero um namorado, mas eu sei que eu só vou conseguir um quando eu quiser ficar solteira. Éééééé, é a vida!

=*

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tombo, compras e 6,02*10^23

Ontem, o começo do dia estava lindo apesar de eu não conseguir acordar no horário estipulado. Fui trabalhar de bicicleta, bem linda. Passado um bom tempo que eu já tinha começado a trabalhar efetivamente, começou a chover, assim, eu arrumei um jeito para colocar o meu guarda-chuva (laranja) no meu colete do Tenso 2010. Daí né eu estava em cima da bicicleta quando o guarda-chuva, por causa do vento, virou! Imagine a cena bem linda: Aline com um guarda-chuva laranja virado parando a bicicleta para ajeitar, e lógico, caindo. Eu caí tipo uma pizza mole, se é que você me entende...
Mas foi legal, eu fiquei com uns roxos, um machucado pequeno na canela [mas que arde...], e entortei a roda de trás da bicicleta [já consertado]. É isso! Não morri desta vez XD

Hoje, eu aproveitei e passei no centro, incentivei o consumismo alheio e comprei coisas... Não vou detalhar o quê porque não to afim =x

Boa noite
=*

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Bicicleta, vestibular, 42 e torta estranha mas bom pra car...

Sexta da semana passada, ou seja dia 12/11, eu andei de bicicleta. Nossa! Faz muito que eu não sentia essa sensação de liberdade por causa do vento na face e agitando meus cabelos. Sério! Sensação no mesmo nível de fodismo é um dia que eu fui no MON bem acompanhada por duas amigas minhas [LA apavora aliás, rolar na grama também! *----------*]
Enfim, andei de bicicleta aqui no meu bairro e no bairro vizinho (detalhe: cheio das subidas e descidas). Queria ter ido pro politécnico, mas o problema não era definitivamente ir... Até porque é relativamente perto [já fui a pé], mas o problema efetivo era voltar. E quando eu cheguei em casa morta de cansaço eu fiquei realmente feliz de não ter me forçado mais ainda. Mas eu coloquei toda a energia em movimento, e joguei fora as ruins.

Sábado, foi um dia de merda para falar a verdade. Eu não lembro o porquê mas eu fiquei mega baixo-astral lendo, e pedindo para não existir. Devia ser a ansiedade e a cobrança nééé!

Domingo, dia de vestibular pra UFPR e aniversário do meu irmão, Marcos. Acordei tarde, almocei e meu irmão me levou até o Col. Est. Leôncio Correia para eu fazer o vestiba. Cheguei lá cedo pra caramba e fiquei "autizando". Fiz a prova e saí às 18:22 mais ou menos. Já em casa eu tomei remédio para a minha dor de cabeça. Joguei The Sims 3 e ouvi música.
Bem depois, conferindo no gabarito que saiu no site da UFPR, acertei 42 questões, na verdade não é muito comparado ao meu desempenho na minha época de ouro em 2005, pro vestiba que me fez entrar na faculdade em 2006. Mas naquela época eu estudava o dia inteiro.

Segunda, com cara de domingo *-* Acordei tarde, e fiz tudo o que um domingo merece: nada de produtivo. xD
Mas terminei de ler "As Crônicas de Nárnia" e apesar de achar meio fraco, eu me diverti lendo, e isso que importa.


=*

PS: Odeio cigarro, cheiro de cigarro, pessoas com cheiro de cigarro, roupas com cheiro de cigarro, mas ain, o cheiro do LA é bom demais.
PS2: Saudades de quem some assim [emo, =p]

terça-feira, 9 de novembro de 2010

In Dreams

When the cold o Winter comes
Starless night will cover day
In the veiling of the sun
We will walk in bitter rain


But in dreams
I still hear your name
And in dreams
We will meet again


When the seas and mountains fall
And we come to the end of days
In the dark I hear a call
Calling me there
I will go there
And back again

Esta música faz parte da trilha sonora do filme "O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel".

Giz...

Música que traduz o momento "Giz -Legião Urbana" que dedico a um amigo meu cujo nome eu não irei citar. Eu gosto dele, mas ele não gosta de mim o mesmo tanto. Houve um tempo que ele gostava mas não podia ficar comigo, essas coisas de relacionamentos monogâmicos. E eu também achava errado ficar com ele, mas sempre tinha uma pontinha de mim que queria que tudo se fodesse e eu pudesse ser feliz por 1 segundo que fosse. Esse segundo chegou tarde demais, e com ele o sentimento que havia praticamente sumiu ou mudou. É boa a nossa amizade, e é assim que vai ser agora...

domingo, 7 de novembro de 2010

Post Emo 342987543826527963194

Eu não sei porque eu estou com essa vontade idiota de chorar. É lógico que eu sinto falta de você. Mas eu não quero admitir, não quero correr atrás demais, não quero ser chata.
Eu estou confusa, me confundindo. Eu não sei o que eu faço, se eu ligo, se eu não ligo, se eu mando mensagem. Se eu me decido, se eu deixo estar. E, assim, eu me cobro demais e acabo não fazendo nada com medo de fazer algo errado. Apesar disso, eu não sei se eu fiz algumas coisas certas aí, mas agora eu já fiz né?! Cansei de esperar nego se decidir i.i

Final de semana que vem terá a prova da UFPR, e meuuuuuuuuuuuu, estou com MUITO medo de me dar mal também. O que provavelmente irá acontecer... =S
Não estou com otimismo, minha auto-estima tá péssima, meu cabelo tá enchendo o saco. E eu preciso reclamar, dá licença.

Me fudi no ENEM, pqp! Minha redação tinha tanta linguiça cheia que saravá... Ah, odeio texto em prosa! x.x
Sim, o mode on aqui é o flashback bem louco. Apesar que eu quaaaaaaaaaaaase sempre separo por assunto bem louco, pois se eu deixar do jeito que veeeeeem, fica tudo desorganizado. Ah se fuder isso >.<

Estou com estresse acumulado. Vou chorar ali e não volto!

=*

sábado, 6 de novembro de 2010

Autismo sobre o ENEM

E assim, nuvens.. Alines... Algumas de cabelo comprido, outras de cabelo curto.. Algumas loiras outras morenas, umas mais arrumadinhas, outras mais despojadas. A maioria de roupa roxa ou rosa, as outras de cores neutras: branco, preto e cinza. Duas de vermelho, uma de verde listrado.
Tantas histórias ao mesmo tempo, no mesmo lugar, quantos desejos estão ali naquela sala. Algumas mais novas, outras mais velhas, todas querendo se sair bem nessa prova.
Umas mais bem preparadas, outras não. Muitos chutes. [C.H.U.T.E. = Cálculo Hipotético Universal Técnico Estimativo.] Uma o namorado levou até a porta da sala. A sala ficará quente quando a hora passar...
Sem relógio, sem lápis ou lapiseira, sem borracha. Daqui a pouco não pode decote e nem casacos.
Que cor será a minha? Branco, azul, amarelo, rosa? Amarelo [Carameeeeeeeeeeeeeeeelo, biscoiiiiito...]
Ah, verde-água. Composição por justaposição. Aguardente, composição por aglutinação.
Foucalt. Maquiavel. Ah! Cafézinho sem dúvida! Hahahaha!

É, odeio preencher gabarito, já falei?!

=***

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Reclamações

É incrível como  a convivência só fode com as relações interpessoais. As pessoas começam a se estressar umas com as outras por causa de BOBEIRA, ninguém cede e ninguém vai pra frente. Não que não seja legal morar com alguém mas sinceramente é um saco. Ainda mais quando são: 5 pessoas sendo 2 homens e 3 mulheres, 3 cadelas, 2 peixes, 1 galinha e 2 computadores [só!].
É super interessante que um tempinho de feriado é suficientemente grande para pipocar discussões. A vontade que me dá é sumir, dormir até não mais acordar.
Eu jáááá estou MEGA estressada com toda essa coisa de vestibular, estressada com o meu trabalho pois essa semana vai ser tenso e eu preciso do dinheiro né?? =/
Eu preciso de abraços, de carinho, de atenção, dos amigos que eu me afastei =/, da minha vida sendo diferente.. De tempo pra estudar, de estudar, de me divertir pra desestressar.
É estranho não saber o que uma pessoa está pensando. Eu geralmente consigo "ler" o que as pessoas querem, mas com algumas simplesmente não funciona e assim eu dependo dos meus pensamentos sobre o que pode acontecer, e minha auto-estima é baixa e minha indecisão só fode a vida, assim como o meu pessimismo que também é uma droga. Outra coisa que só fode tudo é a minha capacidade de fazer drama, não importa se o acontecimento é bom, ou ruim, chato ou "perfeito" eu sempre faço drama, eu sempre exagero. Ainda mais quando eu estou escrevendo sobre isso... [Portanto esse texto também estaria sendo exagerado? A resposta é SIM!]
E outra coisa, eu não quero ser chata, não quero ser insistente, não quero que as pessoas enxerguem o meu romantismo exacerbado [adoro palavras legais], pois pra mim demonstrar tudo isso é sinal de fraqueza. E eu não quero ser fraca, eu quero ser forte!
Até logo e obrigada pelos peixes.
=*

Ps.: Ah, e pretendo continuar a história do "Ecos de uma vida", mas as postagens serão aqui! xD

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Nuvens no fim do verão...

Era uma tarde de domingo com Sol desinibido e céu granulado de nuvens. A menina sonhara com este dia e aguardava ansiosamente por ele. Na sua casa ela preparou comida suficiente e colocou numa mochila, estava pronta. Alguns minutos depois ele chegou, pontualmente, com aquele sorriso no rosto que ela adorava, e ele disse: "Vamos! Hoje será um dia incrível na montanha!", ela concordou com a cabeça. Assim começaram a subir o Monte das Nuvens, famoso entre os conhecedores das artes secretas, como este ficava perto da casa dela eles foram a pé.

Na subida conversaram pouco, encontraram esquilos e cerejeiras em flor em todo o caminho. A menina estava tranquila agora, esse era um dos poderes dele sobre ela: acalmá-la. Ele era sempre prestativo: ajudava ela quando o caminho era íngreme demais ou tortuoso demais para a baixa estatura dela.

Quase chegando lá em cima do Monte das Nuvens o menino disse "hoje é um ótimo dia, dará para fazer o que eu queria tanto te mostrar", ela não respondeu, pensara tanto nas possibilidades, sonhara tanto com este momento, espera tanto que às vezes chegava a doer o coração. Mas hoje nada ia tirar a felicidade dela, nem o cansaço da subida, nem o medo, nem o tempo.

Como vocês não estão habituados com este mundo, deixa eu explicar: No Monte das Nuvens, no dia em que acaba o verão, é aberto um portal que somente os conhecedores das artes secretas conseguem enxergar. E o menino era um deles, mas ele só poderia levar junto com ele uma pessoa a cada ano. A menina temia não ser escolhida, como aconteceu no ano passado, mas este ano ele a escolheu e ela estava eufórica.
Quando o Portal se abriu, ele sentiu o calor do Sol, era azul, da cor do céu, estava aberto o portal que levava ao pico do Monte das Nuvens. Sorrindo, o menino pegou a mão da menina, e caminhou lentamente. Quase esqueceu a sua mochila, voltou para pegar, e, juntos atravessaram o portal.

Era fantástica a vista lá de cima, tinha um pequeno chão de terra, uma pedra, e o resto era um tapete imenso de nuvens, que ia até o horizonte. O Sol dava as caras, e sorria para eles, ninguém iria atrapalhar este momento. Sentaram numa pedra e olharam o Sol, o calor irradiava dele, e a menina achou que fosse chorar de felicidade, mas não chorou externamente, o menino abraçava ela e sorria enquanto olhava para o Sol. Pegou a mão dela e a levou para o seu primeiro passo sobre as nuvens.
Ele parou na borda entre terra e nuvem, olhou para ela e deu um passo. Olhou-a com alegria e estendeu a mão, ela hesitou por menos de um segundo, e deu o passo que ela tanto esperou. Até que enfim, estava andando sobre as nuvens! E ela começou a correr, ele a acompanhou. Em um momento ela pegou carona nas costas do amigo, noutro deitou no chão de nuvens que era muito confortável. Correram, brincaram, comeram um pedaço das nuvens, tinha gosto de algodão doce. E deitaram perto do círculo de terra, olhando o Sol se por.

A menina olhava para o Sol como um amante olha para o ser amado. E o menino olhava para ela da mesma maneira. Só eles sabiam o quanto esperaram por este momento, e eles fizeram tudo do jeito certo. Ela queria dizer para o menino o quanto ele era especial para ela, mas sentiu que não precisava. Ele sibilou algo, ela perguntou o que ele tinha falado, e ele sorriu em resposta. No fundo dos olhos dele estava a resposta, e o silêncio foi mais revelador do que qualquer palavra. Ele queria mostrar à ela o quanto a vida é bela, por isso a escolheu, pois saberia que com este momento a vida dela seria diferente. Ela ficara tão feliz que sabia que faria de tudo para ver ele feliz.

Voltaram para a terra e comeram o que ela trouxera, em cima de uma toalha de mesa que ele trouxera e assim saíram as coisas da mochila dele: um cobertor, uma garrafa de suco, uma cereja e dois pedaços de "pudim dos anjos" que era a sobremesa favorita de todos da região. Comeram. Atravessaram o portal e desceram a montanha. Ele deixou ela em casa sem querer [querendo] com beijo no canto da boca. Ela entrou quase correndo em casa, derretendo de amor pois tinha certeza que sua vida seria maravilhosa.