_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

terça-feira, 30 de julho de 2013

Música do dia:


Have you ever felt like you've been hurt before?
By the ones that said they only loved you more?

Inflicted pain and scars of sorrow,
like an empty shell I wait for tomorrow...

I sit here wondering why you walked away
Did I ever do you wrong in any way?

Was it something I said to you that made you change?

There is no more sun... there is only cloudy days. Yeah

What goes around will come around and come back and get yah...

domingo, 28 de julho de 2013

Desabafo 19834673871698899

Não vou dizer mais uma vez que estou bem porque seria mentira: eu não estou bem.

E não faço a mínima ideia de até quando vai durar este 'luto' interno, esta pena de si mesmo, esta dor.

Estou me segurando o melhor que eu posso enquanto eu ainda tenho obrigações no semestre letivo a fazer, mas eu sinceramente tenho medo de desabar.
De se falar diariamente para nem saber como você está e ter qualquer tentativa de aproximação ignorada por você é realmente triste e eu posso dizer que eu não consigo mais lidar com isto.

O fato é que eu me apaixonei perdidamente por você, fiz coisas por você que eu não faria por mais ninguém, enfrentei quilômetros, medos, enfrentei minha própria insegurança gritante.

E o que me eu sei sobre isso? Nada.

Nenhuma notícia, nenhum motivo, nenhum adeus, nenhum, nada...

Eu simplesmente não sei porque você desapareceu e eu só tenho a minha incrível imaginação para pensar o que possa ter acontecido, e a minha criatividade voa na velocidade da luz, já fiz e refiz este caminho várias vezes tentando responder porque isto aconteceu.

Talvez a minha insegurança e paranoia aliadas ao meu comportamento obsessivo para te contar a única coisa que mais estava me incomodando por não ter sido dita: meus sentimentos por você.

Confesso que eu fiquei com raiva, eu fiquei triste, eu senti dor a todo momento e te procurei onde sabia que não estava. Mesmo agora eu ainda me pego sonhando com você, eu ainda sinto algo muito forte por você e você sabe disso, não tem como não saber. Eu sempre tento ser transparente, mas quando se trata a sofrimento eu tenho uma grande barreira que eu carinhosamente chamo de 'sou egoísta com meu sofrimento', isto porque ver os outros sofrendo comigo ou tendo pena ou tentando ajudar às vezes me faz sofrer mais ainda, ok que frequentemente alivia o peso da dor, mas faz doer mais.

Dói, ainda dói. E de repente eu me vejo tendo uma crise de choro nos lugares mais inesperados.

Eu sei que para ti deve ter sido o dobro de difícil do que está sendo para mim, devido a sua situação e eu queria que dividisse isto comigo.

Olha, eu sei que eu não sou perfeita. Sei que tenho medos e dificuldades que me fazem eu me sentir a pior pessoa do mundo, mas eu realmente, mesmo depois de tudo, eu ainda quero realmente que as coisas deem certo. Mas mais que todo este discurso que nem ao menos sei que lerá eu quero alguém que me queira, que me escolha. Maior que tudo isto eu quero que você seja feliz.

Mesmo que para isto eu não esteja feliz. Mesmo que depois de tudo eu ainda me sinta deprimida o bastante para não colocar o nariz pra fora de casa no final de semana. Mesmo que eu definhe aos poucos. Mesmo que eu supere e siga em frente eu tenho certeza que eu nunca vou te esquecer e duvido que o que eu senti por você e ainda sinto suma de dentro de mim, e sim, eu estou fazendo de volta, estou me declarando para o nada que não vai me responder, quanto mais responder o 'eu também' e acho muito improvável eu ouvir um 'eu também te amo'.

Se eu fosse um pouco mais louca e tivesse garantias que você estaria em sua cidade no final de semana era bem capaz de eu brotar por aí bem na louca, mas aí eu penso no que eu poderia ouvir e no quanto eu poderia sair machucada e olha, eu realmente não quero praticar um atentado contra minha vida.

E por mais louco que seja eu ainda tenho esperanças de você brotar de um bueiro e dizer 'oi' como se nada tivesse acontecido. E eu não sei o que eu faria mas eu tenho certeza que eu adoraria descobrir.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Cap 16 - Outra cidade

A próxima cidade demorava mais de um dia para chegarmos então tínhamos que dormir no trem mesmo.

Certa hora da noite enquanto todos estavam dormindo eu sentei do seu lado mas ele não acordou, fiz carinho no rosto dele e ele abriu os olhos, quando eu percebi já estava beijando ele com muita vontade.

Até que ele me interrompeu e disse a frase que nunca sairia da minha cabeça: eu tenho uma noiva me esperando na próxima cidade.

Mais que rapidamente abandonei o banco ao seu lado e voltei para o meu, tratei de dormir e de evitar aqueles olhos verdes que possuíam a chama da vontade, me consumia, me atraia como se fosse a única coisa possível no mundo, eu deveria me unir a ele, podia sentir esta afirmação em cada osso do meu corpo, em cada fio de cabelo meu.

Quando acordamos ele disse que gostaria de continuar me vendo nesta próxima cidade, eu não respondi.

Chegando lá conheci o Timoteo, que me pediu para chamá-lo apenas de Tim. Ele levava meus recados para o Giuseppe e trazia as mensagens dele para mim. Foi um tempo bom, onde nos encontrávamos escondidos com a ajuda do Tim que vigiava os caminhos que levavam até o nosso esconderijo: o alto de uma montanha. Íamos para lá sempre a noite, o céu era quase sempre de um estrelado espetacular pois dava até para ver a Via Láctea. Eu me sentia cada vez mais apaixonada pelo Giuseppe, e a cada sorriso, cada olhar, cada contato era sublime e pela primeira vez eu me senti completa, cheia de amor por ele.

Nunca quis pressionar ele por causa de sua noiva mas o meu sonho mais secreto era viver junto dele sendo aceita na sociedade. Eu até cheguei a realmente considerar esta hipótese, mas isto foi antes de...

domingo, 21 de julho de 2013

Cinco horas da manhã

São quase cinco horas da manhã, alguns diriam que é insônia, eu digo que é apenas um saltitar entre mundos.
Ontem foi um dia estranho, eu realmente me acostumei a me lamentar nos finais de semana.
Realmente eu deveria deixar pra lá o que me magoou, desapegar desta dor que me liga a você.

Eu ainda tenho esperanças de um dia você aparecer do nada, como quem brota de um bueiro.

Este vazio que está aqui dentro é ensurdecedor!

Sei porque demorei tanto para escrever sobre isso: ainda dói.

E eu tentei de todas as formas chegar até você: e-mail, sms, liguei inúmeras vezes, skype e até cheguei a pedir para deixarem recado que eu queria/precisava falar contigo e naada!

Não sei qual foi o motivo que te levou a sumir e já fiz milhares de suposições, alguma delas deve estar certa, ou não. É injusto você poder ter informações sobre mim e eu nenhuma sobre você! A minha vontade é ir aí perguntar pq vc fez isso?

Eu não posso escolher por você.
Eu não posso falar por você.
Eu não sou você.

E eu não posso continuar sofrendo.

Eu tenho uma faculdade pra terminar, um emprego pra me dedicar e alguém que é amável comigo. E eu sei que jogaria tudo pro alto pra ficar contigo. Mas...

Desculpa dizer mas a minha vida não tem espaço pra sofrer por você!

Se for pra ser, não será agora.
Se não for, paciência

Se eu continuar assim vou ficar doente de tanta tristeza...
Preciso agir! Preciso limpar a casa e colocar o lixo pra fora logo!

Preciso parar de acreditar que um dia você vai voltar, parar de esperar que isto vai acontecer...

O meu maior medo aconteceu: eu fui abandonada.


sábado, 20 de julho de 2013

O sol poente...

Faz dias que ela não sorri - disse a moça referindo-se a mãe dela - e também não come, não dorme. Fica só deitada na cama olhando o infinito, parece que nem mesmo nos enxerga.
E o doutor examinou a mulher de cinquenta anos de idade que estava no estado catatônico, analisa daqui, mede a pressão, tira a temperatura, liga a lanterna nos olhos para ver se estão respondendo - nada.
A filha ansiosa pergunta: "é grave doutor?" e o médico responde: "vou precisar de mais alguns exames, muito obrigado".
Fazia dias que a mulher estava entregue ao estado de tristeza profunda, tinha chegado a hora.
Em uma tarde eis que apareceu seu ex-marido na porta do quarto, ele foi até a cama, fez carinho no rosto dela e pronunciou as palavras que ela mais tinha sentido saudades: "eu te amo", "eu te amo, Beatriz! Por favor me perdoe!".
Aquelas palavras a libertaram do sofrimento, ela mexeu a cabeça, seus olhos se encheram de lágrimas e a vida dela voltou a ganhar cor.
"Eu senti tanto a sua falta...", e uma lágrima caiu, "mas eu tive medo..." ela soluçou.
"Está tudo bem, tudo vai ficar bem! Não precisa ter medo!" disse ele a tomando nos braços.
"Obrigada por tudo, obrigada por vir aqui me tirar do sofrimento!" ela sussurrou.
"Eu vim porque você me chamou em seus sonhos e agora tudo vai ficar bem!"

E eles caminharam juntos em direção ao sol poente, não pela última vez.