_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Saudade

Eu queria que o tempo parasse e eu pudesse fazer as coisas acontecerem diferente.
Um novo dia, uma nova esperança, um começo ou quem sabe um recomeço.
Eu queria que eu pudesse fazer tudo.
Eu sempre quis mais do que eu posso.

Queria poder te olhar, te sentir: sem mágoas, sem ressentimentos.
Queria poder olhar pra trás e dizer que valeu a pena.
Queria poder esquecer o quanto eu sinto sua falta.
Queria poder ter o poder de te excluir da minha vida.
Queria poder esquecer você e os bons momentos, pois eu sei que eles não voltam mais.

Queria você de volta, como amigo. Mas eu sei que na primeira oportunidade eu iria querer fazer tudo o que eu não fiz com você...
Queria não sentir mais nada, quando você olha pra mim, daquele jeito.
Queria ficar amarrada e não poder correr mais atrás de você.
Queria ouvir de você que a gente não tem mais nada a ver, pessoalmente.
Queria parar de escrever sobre você e pra você.
Queria esquecer as músicas, as cartas.. Todas que fiz pra você. E que mesmo excluindo do pc, continuam na minha memória.
Queria pegar a memória de coisas relacionadas à você e fazer um arquivo ".rar"
Queria sentir saudosidade quando penso em você, mas eu sinto saudade.
Muita saudade.

Não amarei mais ninguém, como eu te amei. Com ninguém mais será como foi contigo. Eu sinto uma saudade absurda. E faço loucuras pra tentar me controlar e não fazer besteira.

Eu sei que acabou. Eu sei que nunca mais será como foi. Mas eu ainda tenho esperança. Pq? Pq? Eu não quero isso, e tenho.

E se eu disser que eu sinto saudades de tudo, e principalmente de você. Você irá me expulsar da sua vida?

Eu quero tanto voltar a falar contigo. Tanto voltar a ser um pouquinho do que foi. Mas eu sei que não estou preparada pra isso, e talvez nem você.

Talvez um dia, talvez em algum outro lugar. Depois de um tempo, quem sabe a gente ainda não tem algo à resolver?

Sinto saudades. Saudade que dói e corrói meu peito toda vez que te vejo. Eu achava que não, que estava "curada". Mas existem feridas que mesmo fechadas ainda doem. Porque foi isso que sobrou: uma ferida, uma cicatriz. E assim, você marcou minha vida. E por causa dela que você não faz mais parte integrante do meu dia-a-dia.

Se há algum remédio pra ajudar a esquecer, eu quero. Essa dor que sempre volta, é uma tortura. Eu me afastei, fiquei longe, entrei em crise, quis desistir, por mim. Pois era tortura demais. Tristeza demais.

Então, pequenas coisas me deixam feliz, mas é só eu parar para pensar ou parar observar minha vida, que tudo isso volta, mais cedo ou mais tarde: eu vou estar morrendo de saudades de você.

Mas passa, sempre passa.

=*

Nenhum comentário:

Postar um comentário