_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Auto-avaliação [ajudada por um teste]

É esse vazio aqui dentro que me incomoda.
Essa sensação de estar sem direção, totalmente perdida.
Mas desta vez é diferente, não sei porque...

Estaria eu despertando do meu sono mais profundo do meu mais escondido eu?
Não sei.. Não sei se quero saber também..

Não.. Não é fome, no sentido literal não.
É uma fome de algo ou alguém eu não sei dizer.
Acho que é uma fome de mim mesmo.
A falta que eu mesma faço.

Bom, não sei como reverter, não sei como mudar.
Não sei porque tanto medo em mim.
Não sei porque eu criei tantas barreiras.
Tenho medo de quebrá-las.

Por que eu estou me sentindo revoltada?
E com essa dor aguda no peito?
Por que eu simplesmente não consigo relaxar?
Será mais uma crise de muitas?
Ou a última de todas?

Parece que as palavras nunca vão sair.
Por que dói tanto?
Por que eu não consigo respirar direito?
Algo me engasga... Talvez seja eu mesma...
Eu mesma? É! O lado mais estranho que eu descobri que tenho..
Assim como todos tem..
O Ego...
Palavra estranha.. E até um tempo atrás meio sem significado para mim...

Até algum teste desses muitos da internet me disse:
Egocêntrico.. Eu egocêntrica?
Como assim? Que que eu fiz?
Sim! Você egocêntrica! Você cria o seu mundo quando se isola..
E seu mundo gira em torno de você...

Estranho.. Numa pancada só descubro que tenho ego, e que sou egocêntrica..
Onde eu estava então esse tempo todo?
Peraí.. Quem sou eu???????? Ahhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!

Isso está me deixando horrivelmente estranha..
Estou sem chão...
E pior.. eu sou auto-destrutiva e auto-punitiva.. Ou seja, eu não preciso que você me destrua numa crítica... Mesmo com um elogio, eu me auto-destruo...
Eu me auto-puno quando acho que preciso... E ainda, eu me auto-saboto...

Nossa! Como que eu vou mudar isso?!

Também.. Eu sempre espero aquele feeling das pessoas, o reconhecimento pelo meu esforço.
Quando eu não obtenho e julgo ter me esforçado. Eu simplesmente páro de me esforçar.

Eu fujo das brigas e discussões, mas aprendi com isso, que às vezes é melhor brigar.
Eu tenho dificuldade para falar tudo o que sinto verbalmente.
Bem... Ninguém me entenderia mesmo...
Afinal.. Eu vivo num mundo de sentimentos...
Tudo é muito sentido... Muito remoído...
Assim eu acumulo raiva, acumulo choro, acumulo até riso.
Não que eu não seja expontânea...
Só que às vezes demora... Demais..

No teste disse:
"Sua própria necessidade de aprovação torna-o disposto a ajudar aos outros e, em troca, quer calor humano e compreensão."

Ou seja, carente, e ansiosa por reconhecimento da minha disposição...
Oh! Ou seja, eu espero que façam por mim o que eu faço por quem gosto.

Eu sempre retaí meus sentimentos.. Por julgar eles "fracos" demais..
Pois quem chora é fraco.. Quem sofre é fraco...

Então para quê eu ia mostrar a minha fraqueza? Para quê eu ia demonstrar meus sentimentos?

Ainda no teste:
"Fica angustiado quando suas necessidades ou desejos são incompreendidos, e sente que não tem a quem recorrer, ou em quem confiar. É egocêntrico; portanto, ofende-se com facilidade."

De tanto eu me achar incompreendida, eu simplesmente às vezes deixo os sentimentos ali...

Eu sou a criadora de bolas de neve de emoções..
Daquelas que quando cresce demais... Explode!
Nem queira estar por perto para ver..

Continuando no teste:
"O que você quer evitar:
*** A capacidade de suportar pressão tem sido sobrecarregada, levando a tensão e frustração, impaciência e irascibilidade.
*** Perdeu a elasticidade e a força de vontade necessárias para enfrentar as dificuldades atuais. Sente-se sobrecarregado e nada conseguindo, mas continua a manter sua posição e ainda busca seus objetivos com tenacidade ardente. Isto o sujeita a uma pressão intolerável, da qual deseja escapar, mas não consegue tomar a decisão necessária. Como resultado, permanece firmemente envolvido no problema e não pode vê-lo objetivamente, nem livrar-se dele - não pode deixá-lo de lado e sente que só terá calma quando tiver alcançado seu objetivo.

Nem vou dizer porque disso... Minha faculdade simplesmente me deixa em posição de estresse diário e mortal para meu bom-humor.

Se eu fosse escrever uma função que fege minha vida seria. [Já derivada]

V(t) = 24horas - N.t - f.t - r = 0

onde:
V = vida
f = variável faculdade, incluindo tempo de deslocamento, estudo e tempo que fico lá
N = necessidades básicas diárias
r = tempo restante [tendendo à zero]
t = tempo gasto

Concluindo: Minha faculdade é em função da vid.. digo.. Minha vida é em função da faculdade e o tempo livre [r] sempre estará tendendo à zero. Ou seja, EU NÃO VIVO caramba!

Como diria a Priscila:
"Solteirice não é mais opção, é necessidade imposta pela faculdade!" [Se você quiser concluir o curso]

Bom.. Me sinto perdida.. Porque não tenho certeza que o que estou fazendo, vai me levar até onde quero chegar.. E onde quero chegar?
Calma.. Antes, algo que quero evitar também é:

*** Incerteza e preocupação de perder oportunidades têm levado a um limite de tensão angustiante.
*** Acha que a vida deve dar mais do que está dando e que suas esperanças e desejos devem, de algum modo, realizar-se, que eles lhe devem ser inteiramente concedidos. A incerteza atual é causa de preocupação considerável, e está tenso e alerta para não perder qualquer oportunidade que aparecer. Está ansioso para evitar outros reveses e qualquer perda de posição ou prestígio. Tenta assegurar-se de que não será ignorado e tem grande necessidade de estabilidade emocional.

Ahh.. Agora entendi porque estou assim.. Eu espero tanto conseguir as coisas principalmente aquelas que perco por causa do meu ego.. Que estou nessa situação calamitosa...

Agora sim eu enchergo a luz =D

Primeiro passo => descobrir qual são os medos que estão me impedindo de chegar aonde eu quero:

Medo 1 : O medo que me impeçam de alcançar o que deseja me leva a desempenhar seu papel com intensidade urgente e febril.

Medo 2: O medo de que me impeçam de obter as coisas que deseja, me leva à procura intensa de satisfação, se ocupando de atividades ilusórias ou fúteis. [Explicado as horas no msn..]

Medo 3: Sente-se inibido e incapaz de progredir; procura uma solução que elimine essas limitações.

O que eu realmente quero?
Reconhecimento, carinho, atenção, prosperidade, alegria, paz, amor.

Como eu pretendo realizar isso?
Para reconhecimento => boas ações, para carinho => carinho, para atenção => atenção, para prosperidade => luta, para alegria => realizações, para paz => estar bem consigo mesma, para amor => amor.

O que falta para conseguir?
Estabilidade emocional, "sair da toca" ou quebrar o egocentrismo, se permitir arriscar a se lançar na vida sem contabilizar as possibilidades de fracasso, ou mesmo não prestar tanta atenção na possibilidade de fracasso, pensamento positivo.
Palavras chaves: Equilíbrio, ousadia, movimento.
Exercício recomendado: Meditação.

Bom.. Acho que me auto-diagnostiquei...
Mãos às obras!
=**

2 comentários:

  1. FANTÁSTICO! NOOOSSA ME IDENTIFIQUEI EM MUITAS COISAS E ESSE TEXTO Q VC REDIGIU ME FEZ REPENSAR, PROCURO TB POR UM CAMNHO E TENHO MUITOS QUESTIONAMENTOS SEM RESPOSTAS, FICO S/ ENTENDER SITUAÇÕES Q ACONTECEM E HJ , ATRAVÉS DO SEU TEXTO PERCEBI Q A CAUSADORA SEMPRE SOU EU MESMA E É DURO RECONHECER ISSO...AFFF..PARABÉNS...SEU TEXTO DEVE ESTAR AJUDANDO MUITAS PESSOAS..ISSO Q É BOM DA NET...SUCESSO E QUE POSSAMOS SAIR DESSA..ABRAÇÃO.

    ResponderExcluir