_______________________________________E se esvai no momento seguinte...

domingo, 22 de julho de 2007

Coragem

"A semente não pode saber o que lhe vai acontecer, a semente jamais conheceu a flor. E a semente não pode nem mesmo acreditar que traga em si a potencialidade para transformar-se em uma bela flor. Longa é a jornada. E sempre será mais seguro não entrar nela, porque o percurso é desconhecido, e nada é garantido... mil e uma são as incertezas da jornada, muitos são os imprevistos - e a semente sente-se em segurança, escondida no interior de um caroço resistente. Ainda assim ela arrisca, esforça-se; desfaz-se da carapaça dura que é a sua segurança, e começa a mover-se. A luta começa no mesmo momento: a batalha com o solo, com as pedras, com a rocha. A semente era muito resistente, mas a plantinha será muito, muito delicada, e os perigos serão muitos.

Não havia perigo para a semente, a semente poderia ter sobrevivido por milênios, mas para a plantinha os perigos são muitos. O brotinho lança-se, porém, ao desconhecido, em direção ao sol, em direção à fonte de luz, sem saber para onde, sem saber por quê. Enorme é a cruz a ser carregada, mas a semente está tomada por um sonho e segue em frente.

Semelhante é o camino para o homem. É árduo. Muita coragem será necessária".
[Osho]

Assim que eu me sinto, uma semente envolta numa casca dura, e a maior parte dessa casca fui eu mesma que criei para me proteger, afinal, ficar ali, parado dentro da fortaleza é simples e aparentemente indolor.

Mas na verdade dói sim, talvez até mais. As piores limitações são aquelas que você mesmo impõe para si, para ser aceito pelos outros. E acaba sendo mais difícil quebrá-las porque você se auto-pune e acaba voltando ao ponto inicial.

Então, eu quero quebrar as correntes das minhas barreiras impostas por mim e para mim. Só não sei direito como agir. Eu sei que tenho que me expor mais a acontecimentos julgados por mim como "perigosos", mas aí instaura-se um conflito interno. E muitas e muitas vezes, eu recuo com medo e assustada.

É muito cômodo ficar alternando em situações conhecidas e que você pode controlar. Mas é muito mais interessante e excitante se lançar ao mundo de braços abertos.
Eu tenho medo de me machucar, penso que dificilmente as pessoas vão compreender o mundo de sentimentos que vivo. Pois é um mundo totalmente sentido somente por mim.

Às vezes eu fico triste e decepcionada, pois meus padrões para mim mesmo são muito altos e frequentemente eu não consigo alcançá-los.
Eu gostaria de ter um amor que me complete, que me faça sentir plena e satisfeita. Em paz comigo mesmo e com o mundo. Enquanto ele não chega, eu fico me sentindo perdida.

Eu sei que eu me isolo no meu mundo. Mas eu não acredito que alguém algum dia irá conseguir entender ele. Bom, nem eu consigo.

Quem quiser.. Tente^^

Até! =**

Nenhum comentário:

Postar um comentário